Por pedro.logato

Rio - Acostumados a ídolos estrangeiros como Doval e Loco Abreu ao longo da centenária história do clássico, Flamengo e Botafogo voltam a contar com protagonistas que não falam português para decidir o jogo de domingo no Maracanã, às 18h30, pelo Brasileirão. Os nomes da vez são o boliviano Marcelo Moreno e o holandês Seedorf, ajudados pelo chileno González e o uruguaio Lodeiro.

Seedorf é principal jogador do BotafogoDivulgação

Ao longo de 100 anos, argentinos, chilenos, colombianos, ingleses, portugueses, sérvios e até argelinos, eslovacos e canadenses, entre outras nacionalidades, já escreveram algumas linhas na história dos dois clubes. O paraguaio Modesto Bria, por exemplo, é o estrangeiro que mais vezes entrou em campo pelo Flamengo (369). Seu compatriota Cáceres é o representante do país atualmente, mas está vetado com dores na coxa direita.

Marcelo Moreno é a esperança de gols no FlamengoDivulgação

Para o clássico, a esperança do Flamengo em vencer e se afastar da zona de rebaixamento está em Moreno, filho de brasileiro. O primeiro boliviano a jogar pelo clube tem feito sucesso, com cinco gols em nove jogos com a camisa rubro-negra. Na zaga, González será o responsável por parar os gringos alvinegros, o que não será nada fácil.

Seedorf e Lodeiro já fizeram dez gols cada só este ano e figuram entre os dez maiores goleadores estrangeiros do Botafogo — ainda estão longe do argentino Fischer, que é o recordista (68 em 180 partidas). Depois do sucesso de Loco Abreu, sempre lembrado pela famosa cavadinha sobre o rival na final do Carioca de 2010, os dois têm conseguido ocupar o espaço de idolatria entre os torcedores.

Eles são a esperança dos alvinegros para bater o Flamengo e recuperar a liderança da competição, hoje com o Internacional.

Você pode gostar