Mais Lidas

David Luiz: Um anjo que caiu do céu

Carismático, zagueiro vira sucesso entre jovens e recebe a missão de ser embaixador da ONU

Por rafael.arantes

Rio - Na infância, o visual era bem diferente do atual. Mas o jeito extrovertido e o carisma já faziam parte da personalidade de David Luiz. Franzino, de cabelo baixinho, aparado com máquina, ele era bagunceiro, mas também chamava a atenção pelo cuidado com os idosos. De lá para cá, o paulista de Diadema cresceu, percorreu o mundo com o futebol e apareceu muito. Hoje, aos 27 anos, o zagueiro cabeludo de 1,89m virou estrela da seleção brasileira e sucesso entre os jovens.

David Luiz passa a ser embaixador da ONUAlessandro Costa / Agência O Dia

Tanta popularidade lhe rendeu, em abril, a nomeação como embaixador da Boa Vontade do programa UNAIDS da ONU, com a missão de mobilizar os fãs de futebol com mensagens pedindo o fim da discriminação, alertando para a prevenção e a favor do acesso ao tratamento de pacientes com o HIV. "Estava em Londres no dia em que ele ganhou o certificado. Foi superemocionante. Fiquei muito orgulhosa", conta a mãe, Regina.

Responsável por comandar a Ação Social David Luiz, em Juiz de Fora, ela conta que o filho não perdeu o jeito moleque e, quando está na cidade mineira, brinca com os meninos e vai para a rua soltar pipa. "Ele sempre foi carismático. E também sempre gostou de idosos, abria o portão e ajudava os mais velhos a carregar sacolas. Também é apaixonado por crianças."

Se não fosse a bola, David poderia ter seguido o caminho de Regina e também do pai, Ladislau, ambos professores. "Ele sempre gostou de Matemática. Na escola, era extrovertido, fazia tudo em dois minutos, mas atrapalhava a sala inteira. Na primeira série, com seis anos e meio, fui chamada várias vezes. Ele não gostava daquela escola porque tinha muita criança grande. Era franzino", recorda Regina.

A baixa estatura — motivo alegado pelo São Paulo para dispensá-lo no início da carreira — não tirou David do seu caminho. Do Vitória (BA), ele foi parar no Benfica, Chelsea e até virar a mais nova estrela do Paris Saint-Germain. De longe, ele acompanha as ações de seu projeto social e recorre à mãe para pedir opinião. "É um filho que até hoje pergunta: 'Mãe, você acha legal fazer tal coisa?' Não é que ele faça tudo o que eu digo, mas ele me pergunta", conta Regina, que o chama o de Vi e somente de David Luiz quando está brava.

Com o sucesso do filho, a mãe virou queridinha das fãs e já tem mais de 13 mil seguidores no Instagram. Regina gostaria que o filho só casasse por volta dos 30 anos e diz que o sucesso com as garotas vem da simpatia e do visual: "É pelo cabelo também. Uma vez, ele cortou as pontinhas, coloquei numa caixa e postei a foto. Mas as fãs pensaram que tinha cortado bastante e ficaram preocupadas", diverte-se.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia