Por rafael.arantes

Rio - A memória de Zico é como a névoa densa que descia durante a tarde e acabava com o treino em 1978, um dos anos mais difíceis de sua vida. Talvez por isso mesmo, haja um certo bloqueio. Zico tem poucas lembranças dos três meses que passou em Teresópolis antes da Copa na Argentina.

Recorda-se bem só do ruço que descia a serra e acabava com o treino em um campo da Granja Comary, emprestado pela família Guinle, onde a Seleção se preparava. Mas pouco se lembra das instalações do Hotel Pinheiros, hoje abandonado.

VEJA MAIS: Confira a tabela e a classificação da Copa do Mundo

Hotel que abrigou a Seleção em outras Copas está abandonadoUanderson Fernandes

Para contar histórias do casamento da Seleção com Teresópolis, com depoimentos de Zico e Roberto Dinamite, Regina Carmela e Léo Bitttencourt vão lançar, no dia 27, o documentário ‘Reminiscências: A Casa da Seleção’. Desde o fim dos anos 50, a Prefeitura de Teresópolis tentava levar a Seleção para a cidade, mas só conseguiu em 1966, graças ao almirante Heleno Nunes, já falecido, grande benemérito da cidade.

“Foi um período terrível. Três meses longe da família, só treinando, sem o conforto e as facilidades de lazer que os jogadores têm hoje. Era um tempo de trabalho muito duro, eu estava realmente concentrado em fazer uma grande Copa e no fim foi aquela tristeza toda”, relembra, destacando o título de ‘campeão moral’ do Mundial e o gol que fez na partida com a Suécia, mas que o juiz não validou, alegando que já havia apitado o fim do jogo.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

Localizado no bairro de Quebra-Frascos, na saída para Petrópolis, o hotel é o retrato do abandono. Pisos soltos, canos expostos, telhados quebrados mostram a degradação da bela construção. As sacadas dos quartos de madeira frequentados por craques, como Zico, Roberto, Garrincha e Tostão, ameaçam cair. O hotel pertence a empresário do ramo de transporte coletivo e está fechado há dez anos.

Hoje, Paola Silva, 35 anos, que mora com o marido num quarto, tenta tomar conta do lugar com a ajuda de um jardineiro. Mal sabe a história de lá. Não entende nada de futebol. Mas lamenta o abandono: “O dono poderia ficar ainda mais rico se investisse aqui”.

Você pode gostar