Por bernardo.argento

Rio - A Copa do Mundo 2014 vem sendo chamada de “Copa dos goleiros” devido às atuações destacadas dos homens responsáveis por evitar os gols adversários. De 56 jogos realizados até aqui, os arqueiros foram eleitos osmelhores em campo em dez – número bastante significativo para uma posição tão maltratada. Mas o que Guillermo Ochoa, Keylor Navas, Tim Howard, Raïs M’Bolhi e Julio Cesar, os principais destaques, têm em comum? Nenhum deles atua em umgrande clube do futebol mundial.

O mexicano Ochoa ganhou notoriedade ao parar o Brasil de Neymar e companhia em partida da segunda rodada da fase de grupos. O duelo terminou 0 a 0 e o camisa 13, que fez pelo menos três defesas difíceis, foi apontado como melhor jogador pela Fifa. Apenas depois do confronto é que se chamou atenção para o fato de que ele deixou o francês Ajaccio ao término da última temporada e agora está sem clube.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Navas defendeu cobrança de Gekas e colocou a Costa Rica nas quartas da Copa do MundoCarlos Moraes

O goleiro do México ainda voltou a brilhar no jogo das oitavas de final. Mesmo com a derrota do México para a Holanda, por 2 a 1 de virada nos acréscimos do segundo tempo, Ochoa foi novamente eleito o principal atleta em campo.

As oitavas de final serviram ainda de palco para outros quatro goleiros brilharem nesta Copa. O norte-americano Tim Howard já haviasaído com o troféu de melhor jogador do empate por 2 a 2 com Portugal, na fase de grupos, e repetiu a dose na eliminação de seu país para a Bélgica por 2 a 1 na prorrogação. Neste duelo, o arqueiro do modesto Everton, da Inglaterra, quebrou o recorde de defesas em uma partida de Copa do Mundo: 16

Ochoa fez uma defesa milagrosa em chute à queima roupaReuters

Também eliminado, Raïs M’Bolhi foi o grande nome de Argélia x Alemanha. O camisa 23, que já havia sido decisivo na histórica classificação argelina para o mata-mata ao segurar a Rússia na última rodada da fase de grupos, conseguiu segurar os alemães até a prorrogação. Se está fora da Copa, pelo menos levou um troféu de melhor em campo para casa. O detalhe: ele defende o pequeno CSKA Sofia, da Bulgária.

Um dia antes de M’Bolhi brilhar foi a vez do costarriquenho Keylor Navas. Ele já havia sido premiado depois do empate sem gols com a Inglaterra, mas sua glória maior foi salvar sua seleção nas oitavas de final contra a Grécia. Além de excelente defesa nos minutos finais da prorrogação, o goleiro do Levante, da Espanha, pegou uma cobrança na disputa por pênaltis.

Julio Cesar foi o herói da vitória do Brasil sobre o Chile nos pênaltisAndré Mourão

Outro que brilhou nas penalidades máximas foi o brasileiro Julio Cesar. Com duas defesas, o camisa 12 ajudou a classificar o Brasil para as quartas de final e deixar o Chile pelo caminho. No tempo normal, o arqueiro já havia sido fundamental em uma chance clara de gol dos chilenos. Isso mesmo com a polêmica de ter passado as últimas temporadas no banco de reservas do pequeno Queens Park Rangers, da Inglaterra, e ter depois se transferido para o Toronto, da Liga Norte-americana de Futebol.

Gianluigi Buffon e Alexander Domínguez também voltaram para casa com um troféu de melhor em campo cada. O italiano, da Juventus, foi escolhido mesmo após a derrota por 1 a 0 para o Uruguai, resultado que tirou seu país da Copa ainda na fase de grupos. Já o equatoriano, da LDU, foi eleito no empate sem gols com a França.

Em todo o Mundial de 2010, disputado na África do Sul, os goleiros foram escolhidos os melhores em campo em cinco das 64 partidas.

Reportagem: Pedro Taveira

Você pode gostar