Mais Lidas

Ausente contra a Holanda, Di María está doido para jogar decisão no Maracanã

Com recuperação surpreendente, meia pode pegar a Alemanha tendo na torcida alguns amigos de infância

Por pedro.logato

Minas Gerais - Cortado da Copa do Mundo por grande parte da imprensa argentina devido a uma lesão muscular na coxa direita, sofrida nas quartas de final contra a Bélgica, o meia-atacante Di María teve uma recuperação surpreendente e pode ser o maior reforço do técnico Alejandro Sabella para a final de domingo contra a Alemanha, no Maracanã. A confiança de Angelito, como o atacante é conhecido em Rosário, onde nasceu, em jogar é tanta que ele fretou voo charter para ter uma torcida particular no estádio.

“Estávamos como loucos, pois não podíamos viajar e nem conseguirmos ingressos. Mas, por sorte, Angelito se lembrou de nós. Quem o conhece, sabe que ele é assim, simples e nunca esqueceu a sua origem e seus amigos”, afirmou ao jornal argentino ‘Clarín’, um dos dez amigos de infância do camisa 7, que nasceu em Rosário, na Província de Santa Fé.

Di Maria pode estar presente na final deste domingoReuters

Outro incentivo para Di María disputar a final veio da Fifa. Ele foi indicado ao prêmio de melhor jogador do Mundial junto com os compatriotas Messi e Mascherano. Dentro de campo, o jogador do Real Madrid deu provas de que realmente poderá jogar. No treino de ontem, na Cidade do Galo, o último no CT atleticano, ele fez puxado treino físico e um trabalho com bola, dando a entender que ficará ao menos no banco de reservas. A tendência é que Sabella mantenha Enzo Perez na equipe.

Susto na lateral

O lateral-esquerdo Rojo deu um susto na comissão técnica ao deixar o treino mais cedo reclamando de dores no tornozelo direito. Mas os médicos não acreditam que ele fique fora da decisão. Se não tiver nenhuma baixa de última hora a Argentina deverá entrar em campo com: Romero, Zabaleta, Demichelis, Garay e Rojo; Mascherano, Biglia e Enzo Pérez; Messi, Lavezzi e Higuaín.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Antes de deixar a Cidade do Galo, o grupo argentino fez um animado churrasco de confraternização. Para muitos hermanos, o primeiro de muitos que virão com a conquista do sonhado tricampeonato no Brasil.

De desacreditado a candidato a paredão da Copa

Romero foi o herói da classificação da Argentina para a decisãoReuters

Reserva no Monaco e encarado com desconfiança até mesmo pelos jornalistas argentinos, Romero deu a volta por cima ao defender dois pênaltis na semifinal contra a Holanda. Uma grande atuação que foi premiada com a indicação do goleiro ao prêmio Luva de Ouro do Mundial — seus concorrentes são o alemão Manuel Neuer e o costarriquenho Keylor Navas.

A indicação de Romero foi uma surpresa, pois Ochoa, do México, que parou o Brasil na primeira fase do Mundial, era dado como certo na lista. Assim como o americano Tim Howard, que corria por fora após a sua impressionante atuação nas oitavas de final contra a Bélgica.

Com a convocação contestada em seu próprio país, por ter atuado apenas nove vezes pelo Monaco, onde é reserva, Romero calou os seus críticos e, para coroar a sua participação no Mundial, espera fechar o gol contra a Alemanha e levar para a casa mais um título mundial.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia