Fifa lança medida para evitar aumento de casos de assédio contra mulheres na Rússia

Nesta quinta-feira, entidade exigiu que emissoras de televisão reduzam as filmagens de torcedoras 'atraentes'

Por O Dia

Fifa exige que emissoras de televisão reduzam as filmagens de torcedoras 'atraentes' a fim de evitar o aumento de casos de assédio
Fifa exige que emissoras de televisão reduzam as filmagens de torcedoras 'atraentes' a fim de evitar o aumento de casos de assédio -

Rússia - Os casos de assédio durante a Copa do Mundo na Rússia foram diversos. Repórteres de vários países foram assediadas ao longo do Mundial e, por conta do número de mulheres que sofreram o abuso durante a competição, a Fifa exigiu nesta quinta-feira que as emissoras de televisão reduzam as filmagens de torcedoras 'atraentes' durante os últimos jogos.

Segundo o chefe do departamento de responsabilidade social da Fifa, Frederico Addiechi, os casos de sexismo foram mais recorrentes do que os de racismo e por isso a medida foi tomada, tendo em vista que uma entidade parceira da Fifa registrou 45 denúncias sexuais até o momento durante a Copa.

Além do vídeo dos brasileiros que assediaram uma estrangeira, fazendo-a pronunciar palavras em português, outros casos também foram registrados contra repórteres mulheres.

A Fifa considerou o pedido como uma evolução normal, já que as filmagens durante as partidas estão cada vez melhores.

No sábado, Bélgica e Inglaterra disputarão o terceiro lugar da competição. No domingo, ocorrerá a grande final entre Croácia e França.