O jogo da história do futebol da Croácia

Sem estar na relação de favoritas ao título, seleção de Modric e Rakitic sonha com uma grande festa no país

Por O Dia

Jogadores da Croácia participam do último treino antes da decisão do título contra os franceses: um feito para um país de 4,1 milhões de habitantes
Jogadores da Croácia participam do último treino antes da decisão do título contra os franceses: um feito para um país de 4,1 milhões de habitantes -

Com apenas 27 anos desde a sua independência da Iugoslávia, a Croácia não chega a ser uma potência esportiva e ainda assim tem motivos para se orgulhar. Com títulos mundiais e olímpicos no pólo aquático e no handebol masculinos, o pequeno país de pouco mais de 4,1 milhões de habitantes pode aumentar a sua lista de sucessos em esportes coletivos, justamente no mais popular, o futebol, e numa Copa do Mundo. Um sonho para poucos.

"Não serão apenas onze jogadores em campo, mas quatro milhões de croatas conosco. Desde os primeiros dias sentimos a energia deles. E ver as últimas imagens de emoção pelo feito é algo gratificante. Vamos nos superar mais uma vez. É o jogo da história do esporte croata", disse Rakitic.

Sem ter resultados expressivos no futebol, com exceção do surpreendente terceiro lugar na Copa de 1998, a Croácia tem a oportunidade de mudar o seu patamar na história do esporte e pavimentar um caminho parecido com o do pólo aquático, no qual é uma potência, e do handebol.

Nesses dois esportes coletivos, a Croácia já conquistou o mundo. O mais recente sucesso é no pólo, quando foi campeã em 2007 e 2017, e ainda ganhou a medalha de ouro em Londres-2012. No handebol, o feito maior é na Olimpíada, com duas conquistas em Atlanta-96 e Atenas-2004, mas também com um título mundial, em 2003.

A história do futebol croata ainda não é tão vitoriosa, mas os jogadores querem mudar isso. Longe de estar entre os favoritos e considerada uma zebra por muitos, a Croácia conta com uma geração que faz sucesso em grandes clubes europeus, como Modric (Real Madrid), Rakitic (Barcelona) e Mandzukic (Juventus). Acostumados com conquistas, eles terão a oportunidade de dar o primeiro título ao país.

"Repeti várias vezes que estou focado apenas no sucesso da Croácia. Quero que meu time ganhe a Copa do Mundo neste domingo. O resto está fora do meu controle. O individual não é minha prioridade, nunca duvidei de mim mesmo. Agora estou realizando um sonho e estou feliz. Gosto de jogar futebol", disse Modric, cotado para ser o melhor jogador da Copa.

Acostumados a ver atletas do pólo e do handebol comemorando com o país, os jogadores terão a chance de conhecer essa experiência. Mas, para isso, precisarão passar pela França. "Nós queremos fazer nosso país orgulhoso. Espero que tenhamos quatro milhões de pessoas nas ruas celebrando com uma grande festa, como no Brasil e na Argentina", completou o técnico Zlatko Dalic.

Comentários