Sem medo do Uruguai! Felipão: 'Não era nem nascido em 1950'

Após Parreira, Felipão foi mais um a falar sobre derrota para Celeste na última Copa no Brasil

Por pedro.logato

Minas Gerais - O coordenador técnico Carlos Alberto Parreira já havia dito, no domingo, que o Maracanazo foi superado e que, depois da final da Copa de 1950, o Brasil tinha conquistado vitórias importantes sobre os uruguaios Copa do Mundo de 1970, Copa América de 1989 e Eliminatórias de 1993. Nesta terça-feira, foi a vez de Felipão exorcizar o fantasma daquela decisão, há 63 anos, no Maracanã.

Treinado não tem seleção do UruguaiAndré Luiz Mello / Agência O Dia

“Eu não era nascido em 50”, brincou o treinador, que, na verdade, nasceu em 1948. “Não é psicológico. Aconteceu uma derrota. É um jogo de futebol em que uma das duas equipes tem que vencer. Naquela oportunidade, o Uruguai foi melhor. Isso não influencia em nada na partida de amanhã (quarta)”, completou o treinador.

Sobre a disputa desta quarta diante dos uruguaios, pelas semifinais da Copa das Confederações, no Mineirão, Felipão destacou o rival:

“Eles hoje passam por alguma dificuldade (nas Eliminatórias), mas jogam uma Copa das Confederações muito boa. Têm estabilidade, um sistema definido. Com a volta da confiança, aumenta a dificuldade para nós”, frisou.

Com três vitórias na Copa das Confederações, Felipão já vê evolução na equipe brasileira desde seu primeiro jogo, em fevereiro, contra a Inglaterra.

“Estamos um pouco melhor do que no começo, lá em fevereiro. Já temos uma base depois de três jogos decisivos. O grupo está crescendo. Os treinadores de outras seleções sempre nos respeitaram. Estamos resgatando um pouco da Seleção”, avaliou.

PASSO IMPORTANTE

O apoio do torcedor, mais uma vez, foi destacado por Felipão.

“O brasileiro tem se manifestado com um carinho fantástico em relação à Seleção. A forma como fomos recebidos foi espetacular. Eles entenderam o apoio que pedimos e nos deram a resposta. Que a torcida em Minas Gerais ajude a fazer a diferença, como a torcida dos outros estados fizeram. Ajudem-nos! Precisamos dar um passo importante para a final”, pediu.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia