Altobeli ratifica índice olímpico em dia de resultados fracos no Troféu Brasil

Ele vai representar o país nos 3.000 metros com obstáculos

Por fabio.klotz

São Paulo - Altobeli Santos da Silva foi o único destaque de um dia de poucas emoções no Troféu Brasil de Atletismo, em São Bernardo do Campo, São Paulo. Já classificado para o Rio-2016, ele ratificou o índice nos 3.000m com obstáculos. Venceu a prova em 8min29s08, ficando 0s92 abaixo do índice. O segundo colocado, Jean Carlos Dolberth, chegou mais de 20 segundos depois.

A prova mais interessante foi os 5.000m para mulheres. Jenifer do Nascimento Silva, do Pinheiros, e Juliana Gomes dos Santos, da BM&F Bovespa, chegaram praticamente ao mesmo tempo. Apenas 0s04 separaram as atletas após 16min32s de prova. Juliana estará na Olimpíada nos 3.000m com obstáculos e, nos 5.000m, ficou muito longe do índice cobrado, de 15min24s.

Com atraso na programação, a última prova do dia aconteceu quando já estava de noite em São Bernardo do Campo. Com o título do decatlo garantido e índice olímpico alcançado já no Pan do ano passado, Luiz Alberto de Araújo não forçou nos 1.500m. Ainda assim, terminou com 8.070 pontos, a 30 de ratificar o índice.

Outros resultados

O dia começou logo cedo no Troféu Brasil, com as provas de 20km da marcha atlética. Classificados à Olimpíada e candidatos a medalha no Rio, Caio Bonfim e Erica Sena não fizeram ótimos tempos, mas venceram respectivamente com 1h23min26s e 1h37min38s. Cisiane Dutra Lopes, que também irá ao Rio-2016, ficou com a prata, completando a prova 3 minutos depois da campeã.

No dardo, Laila Ferrer não conseguiu melhorar a marca obtida na fase de classificação, na sexta, quando lançou 61,70m. Ela até venceu a prova, com 59,78m, mas ficou distante do índice olímpico, que era 62,00m. Em 27º lugar no ranking mundial, ela tem chances restritas de ser convidada pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), uma vez que a cota de atletas na prova é 32 e levando em consideração os resultados obtidos a partir de maio do ano passado.

No salto em altura, Valdileia Martins passou o sarrafo a 1,85m, ficando ainda muito distante do índice olímpico, que é 1,93m. Ela errou as três tentativas de 1,90m. A prova teve baixo nível técnico, com a medalhista de prata, Julia Cristina Silva, saltando 1,79m. Com o resultado que fez no heptatlo, Vanessa Chefer poderia ter conquistado a prata no salto em altura.

A prova masculina teve vitória de Guilherme Cobbo, que saltou apenas 2,18m. Talles Federico, único brasileiro que alcançou o índice de 2,29m e estará na Olimpíada, preferiu não competir.

Por fim, no disco, uma surpreendente vitória de Mario Luis David Junior, de 23 anos, do Sesi-MG. Ronald Julião, que buscava o índice de 65,00m, terminou só em terceiro, com 56,34m. Ele chegou a ficar a 35cm do índice no Pan do ano passado e não irá à Olimpíada.

Reportagem de Demétrio Vecchioli

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia