África do Sul quer ser sede de futuro banco de desenvolvimento dos Brics

Chefes de Estado concordaram em chegar a uma decisão na cúpula realizada por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul nos dias 15 e 16 de julho em Fortaleza

Por douglas.nunes

Johannesburgo continua na disputa para abrigar a sede do banco de desenvolvimento que os Brics pretendem criar na cúpula que acontece no Brasil na próxima semana, comunicou o ministro sul-africano de Comércio e Indústria.

"Não houve decisão sobre a sede do banco", declarou Rob Davies à imprensa, respondendo ao anúncio do Kremlin, que na quinta-feira havia indicado que a sede do banco comum seria em Xangai.

"A África do Sul comunicou seu desejo de propor Johannesburgo como sede do banco (...) Os chefes de Estado concordaram em chegar a uma decisão (sobre o local da sede) na cúpula realizada por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul nos dias 15 e 16 de julho em Fortaleza, destacou o ministro.

Leia também: Banco do BRICS nasce em boa hora

Davies disse que, como o novo banco de fomento não vai se limitar aos cinco integrantes dos Brics, sua localização na metrópole financeira sul-africana seria "uma grande vantagem" para facilitar os projetos na África.

O ministro russo de Finanças, Anton Siluanov, afirmou na quarta-feira que as potências emergentes do grupo vão assinar na cúpula a criação de seu próprio banco de desenvolvimento, com funções semelhantes às de outras instituições internacionais em que esses países não se sentem bem representados, como o FMI e o Banco Mundial.

Também se espera a criação nesta cúpula de fundo de divisas, uma espécie de "mini-FMI", segundo Siluanov.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia