Banco Central  amplia ranking mensal de queixas

Financeiras passam a integrar a lista com bancos; débito não autorizado é principal reclamação de clientes em julho

Por monica.lima

São Paulo - O Banco Central (BC) divulgou quarta-feira uma nova metodologia e apresentação do seu ranking mensal de reclamações contra instituições financeiras. Agora, além de bancos também as financeiras passam a fazer parte da lista.

Até junho, as instituições estavam divididas entre as que tinham mais de um milhão de clientes e as que tinham menos. Agora a divisão passou a ser feita entre as entidades com mais de 2 milhões de clientes e também foram incluídas as financeiras no levantamento.

O BC também ampliou a base de clientes de cada instituição financeira. Até junho, apenas os clientes com depósitos (contas correntes e poupança) cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) eram contabilizados. Com a modificação, outras operações de depósito foram incluídas e os clientes que tomam crédito, mas não necessariamente têm conta ou investimento no banco, também passaram a compor a base de clientes.

Os débitos em conta não autorizados foram as principais reclamações em julho: 351 delas tinham indício de descumprimento de lei ou regulamentação com competência de supervisão do BC. Dessas queixas, 93 foram contra o Santander, 79 contra a Caixa Econômica Federal e 69 contra o Banco do Brasil.

Em segundo lugar no ranking das reclamações mais frequentes estão as irregularidades referentes à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços, com 212 casos. Em seguida, vem a cobrança irregular de tarifa por serviços não contratados (161).

Entre as instituições com mais de dois milhões de clientes, em julho, o BMG liderou a lista com 106 reclamações consideradas procedentes pelo BC. Para fazer o ranking, as reclamações são divididas pelo número de clientes da instituição financeira que originou a demanda e multiplicadas por 1 milhão. Assim, é gerado o índice, que representa o número de reclamações de cada instituição para cada grupo de um milhão de clientes. No caso do BMG, o índice ficou em 40,3.

Em segundo lugar no levantamento de julho está o Santander, com índice de 13,61 e 419 reclamações procedentes, e em seguida o Banrisul, com índice de 11,87 e 45 reclamações.

No caso de bancos e financeiras com menos de dois milhões de clientes, o BIC liderou a lista com índice de 199,49 e 34 reclamações procedentes. Em segundo lugar está J.Malucelli, com índice em 68,09 e 23 reclamações. Em terceiro lugar ficou o Banco Fibra com índice de 62,1 e 14 reclamações.

Fernando Dutra, chefe da área de atendimento institucional do BC, diz que o objetivo é disponibilizar mais uma ferramenta para o cliente escolher qual o melhor banco adequado a seu perfil. “A navegação está muito intuitiva”.

O ranking foi criado em 2003. São considerados apenas assuntos regulados pelo BC e que tenha indícios de procedência.“Quando a gente recebe a informação, consegue identificar onde a relação cliente/banco não está adequado, e esse é um insumo básico para o BC atuar”, afirma Dutra. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia