Ibovespa dispara 2,27% renova a máxima em 18 meses

Ação da Petrobras subiu mais de 5% em meio à expectativa pela divulgação da nova pesquisa do Ibope, a partir desta terça-feira

Por parroyo

A expectativa por mais liquidez no mercado elevou os ganhos das bolsas mundo afora. O Ibovespa acompanhou o movimento e, impulsionado ainda pelas ações das estatais, terminou em alta de 2,27%, aos 59.735 pontos – o maior patamar desde fevereiro de 2013. O giro financeiro foi de R$ 6,1 bilhões. Enquanto no cenário externo a sinalização de mais estímulos econômicos na Europa elevou o ânimo dos investidores, no Brasil, a perspectiva eleitoral guiou os negócios.

O mercado aguarda a divulgação de nova pesquisa do Ibope a partir desta terça-feira. Entretanto, nas mesas de operação, correram rumores de que levantamentos prévios feitos por partidos políticos teriam confirmado a força da candidata Marina Silva (PSB) na corrida ao Planalto. A boa colocação da candidata já fora sinalizada no último levantamento do Datafolha, realizado logo após a morte de Eduardo Campos.

“O boato de que Marina estaria bem à frente de Aécio Neves (PSDB), de acordo com pesquisas de partidos, elevou os ganhos das estatais. O mercado pode ter interpretado que tal cenário dificultará a reeleição de Dilma Rousseff (PT)”, disse o operador da Quantitas Asset Management, Thiago Montenegro. Petrobras PN disparou 5,35% e figurou à frente dos ganhos. Banco do Brasil ON teve alta de 3,34% e Eletrobras subiu 1,38%. Na contramão, Natura ON caiu 1,41%.

Montenegro acredita que os indicadores econômicos ficarão em segundo plano durante toda a semana por conta da forte agenda eleitoral. O primeiro debate presidencial, promovido pela Rede Bandeirantes, está marcado para a próxima terça-feira e, na quarta-feira, Marina Silva será entrevistada no Jornal Nacional, da TV Globo.

Na agenda desta segunda-feira, o Boletim Focus reduziu, pela 13ª vez seguida, a projeção de crescimento para a economia neste ano. O número caiu de 0,79% para 0,70%. Em relação à inflação, a estimativa passou de 6,25% para 6,27% no fim de 2014.

Nos Estados Unidos, as bolsas terminaram no azul diante de indicadores mistos. As vendas de moradias novas mostraram o segundo recuo consecutivo em julho. No entanto, a atividade econômica do país, medida pelo Fed (banco central norte-americano), acelerou em junho. O Dow Jones subiu 0,44%; o S&P elevou 0,48% e ultrapassou, pela primeira vez, os 2 mil pontos no intraday. O termômetro de tecnologia Nasdaq, por sua vez, teve alta de 0,64%.

No cenário mundial, os discursos dos presidentes dos bancos centrais de todo o mundo, feitos no simpósio de Jackson Hole, na semana passada, ainda refletem no mercado. A sinalização de mais estímulos econômicos, feita pelo presidente do banco central europeu, Mario Draghi, impulsionou os ganhos das bolsas da Europa e contribuiu para elevar também os índices norte-americanos.

No mercado de câmbio, o dólar terminou em alta de 0,44%, cotado a R$ 2,291 na venda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia