Ibovespa sobe 1,5% e ultrapassa os 53 mil pontos

Alinhamento do discurso do governo em relação ao ajuste fiscal espalha bom humor pelo mercado. Dólar cai, cotado a R$ 3,14

Por parroyo

O alinhamento dos integrantes do governo em relação à necessidade do ajuste fiscal anima os investidores, que vão às compras na véspera da Sexta-Feira Santa. Por volta das 13h, o Ibovespa avançava 1,59%, aos 53.155 pontos.

“No cenário político, os ânimos se acalmaram. Ontem, mesmo o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, disse que o governo "foi longe demais nas desonerações fiscais" e que é preciso aperto nas contas para que haja retomada do crescimento”, apontou a Corretora XP, em nota.

À frente dos ganhos, Rumo Logística ON disparava 16,9% em meio às mudanças na liderança. Após a ALL informar que conseguiu ampliar seu limite de alavancagem para implantar a fusão com a Rumo, o Conselho de Administração  da ALL anunciou a troca do presidente-executivo, Alexandre Santoro, por Julio Fontana Neto. Na contramão, Marcopolo PN perdia 6,75%. As ações preferenciais da Petrobras, por sua vez, subiam 4,02%.

Nos Estados Unidos, as bolsas também operam em alta após o número de pedidos de auxílio desemprego, referente à última semana, ter caído para o nível mais baixo em 15 anos, o que eleva a expectativa de que o relatório geral de emprego, Payroll, a ser divulgado nesta sexta-feira, mostre um bom resultado em março. Por volta das 13h, o Dow Jones subia 0,19%.

No mercado de câmbio, o dólar caía 0,9%, cotado a R$ 3,144 na venda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia