A Cúpula do Clima, convocada por Biden, acontece nesta quinta-feira (22) e reúne lideranças mundiais.
A Cúpula do Clima, convocada por Biden, acontece nesta quinta-feira (22) e reúne lideranças mundiais. AFP PHOTO / BRAZILIAN PRESIDENCY / MARCOS CORREA
Por ESTADÃO CONTEÚDO
Os Estados Unidos vão lançar ainda nesta quinta-feira (22) um plano de financiamento internacional para ajudar outros países a combater as mudanças climáticas. O anúncio foi durante um discurso do presidente Joe Biden na Cúpula do Clima, evento virtual que reúne 40 líderes mundiais - e pode agradar o governo brasileiro. Durante sua participação na Cúpula ao longo da manhã, o presidente Jair Bolsonaro voltou a pedir recursos estrangeiros para a preservação ambiental.
De acordo com Biden, a comunidade internacional, liderada pelos EUA, vai triplicar investimentos em países em desenvolvimento e mobilizar trilhões de dólares para atingir metas de transição do sistema energético para fontes sustentáveis. Mais cedo, o líder da Casa Branca confirmou que a maior economia do mundo quer cortar a emissão de carbono pela metade até o fim desta década e chegar à neutralidade em 2050.
Publicidade
Biden ressaltou que a Corporação Financeira de Desenvolvimento Internacional dos EUA (DFC, na sigla em inglês) está comprometida em zerar as emissões de carbono em sua carteira de investimentos até 2040, ampliando o foco em ativos sustentáveis. A DFC é a instituição americana que facilita o financiamento privado em países em desenvolvimento.
"Precisamos garantir financiamento, tanto público quanto privado, para atender o combate às mudanças climáticas e para nos ajudar a aproveitar a oportunidade de bons empregos, economias mais fortes e um mundo mais seguro", declarou Joe Biden. Para ele, medidas de preservação do meio ambiente são oportunidade de geração de empregos. "Wall Street já deixou claro que os riscos das mudanças climáticas para o sistema financeiro estão crescendo", completou o democrata.