ONU afirma que 'guerra' contra o Ebola pode levar seis meses

Em entrevista coletiva em Serra Leoa, o Dr. David Nabarro também lamentou a suspensão das rotas de várias companhias aéreas nos países afetados, o que, segundo ele, torna a missão da ONU "muito mais difícil", até "impossível".

Por marta.valim

O coordenador da ONU no combate ao vírus Ebola, Dr. David Nabarro, alertou nesta segunda-feira que a luta contra a epidemia é uma "guerra que ainda não foi vencida" e que pode levar até seis meses, durante uma coletiva de imprensa em Serra Leoa.

Durante uma entrevista coletiva à imprensa em Freetown, capital de Serra Leoa, o Dr. Nabarro também lamentou a suspensão das rotas de várias companhias aéreas nos países afetados, o que, segundo ele, torna a missão da ONU "muito mais difícil", até "impossível".

"Nós trabalhamos com medidas excepcionais em seis meses para controlar rapidamente a doença", disse o epidemiologista britânico, ressaltando que "a epidemia de Ebola avança em muitas áreas do país".

De acordo com o último registro da Organização Mundial de Saúde (OMS), de 20 de agosto, o vírus Ebola deixou 1.427 mortos de 2.615 casos registrados no oeste da África.

"A luta para vencer o Ebola não é uma batalha, é uma guerra, que exige que todos trabalhem juntos, de forma dura e eficaz. Espero que esta guerra termine em seis meses, mas devemos continuar até que chegue ao fim", declarou o Dr. Nabarro, acrescentando: "Nós ainda não vencemos".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia