Investigação mundial aponta ligação entre famosos e paraísos fiscais

Putin e Messi são citados. No Brasil, documentos revelam 107 novas offshores ligadas a pessoas citadas na Lava Jato

Por O Dia

Suécia - O WikiLeaks e o Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ) relevaram neste domingo milhares de documentos sobre o funcionamento de empresas em paraísos fiscais e quantias enormes de dinheiro pertencentes a políticos, empresários, jogadores de futebol e famosos. O caso já ganhou a imprensa mundial e foi batizado de "Panama Papers". O nome do jogador argentino Lionel Messi, do ator Jackie Chan e do presidente russo Vladimir Putin aparecem no caso.

De acordo com a investigação,  também são citados familiares do líder chinês Xi Jining, o ucraniano Petro Poroshenko, a família real saudita e autoridades da Islândia e do Paquistão estariam entre os beneficiados por offshores criadas por 214 mil empresas. Entre os italianos, destaca-se o empresário Luca di Montezemolo.

Já no Brasil, os documentos relevam 107 novas offshores ligadas a pessoas citadas na Operação Lava Jato.
O caso foi investigado por um ano por cerca de 400 jornalistas em 80 países. Os mais de 11,5 milhões de documentos provêm do sistema da Mossack Fonseca, a quarta maior sociedade offshore do mundo, com sede no Panamá.

Os arquivos foram entregues por uma fonte ao jornal alemão "Süddeutsche Zeitung" e são considerados a maior fuga de informação dos últimos tempos. A ICIJ, em parceria com veículos de mídia do mundo todo, promete lançar as informações gradualmente nos próximos dias.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência