Avião da Egyptair desaparece dos radares durante voo de Paris para Cairo

Airbus A320 deveria aterrissar no aeroporto internacional do Cairo nesta quinta-feira

Por tabata.uchoa

França - Um avião da companhia aérea Egyptair com 66 pessoas a bordo desapareceu dos radares na madrugada desta quinta-feira durante um voo entre Paris e Cairo. As informações são da própria Egyptair.

A companhia acrescentou em um comunicado publicado em suas redes sociais que o Airbus A320 do voo MS804 partiu do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, na quarta-feira pela tarde e deveria aterrissar no aeroporto internacional do Cairo na madrugada desta quinta-feira.

No entanto, seu destino é desconhecido já que a aeronave desapareceu dos radares.

Ministro diz que avião caiu 22 mil pés antes de desaparecer

Avião da Egyptair desaparece em voo entre Paris e CairoEfe | Foto de Arquivo

Buscas

A companhia aérea Egyptair informou nesta quinta-feira que as equipes de investigação e resgate começaram as buscas pelo avião desaparecido durante madrugada, quando o mesmo realizava o trajeto entre Paris e Cairo.

O avião, com 66 pessoas a bordo, decolou na noite de quarta-feira de Paris com destino ao Cairo e desapareceu dos radares durante a madrugada, às 2h45 locais (21h45 de Brasília da quarta-feira), após entrar no espaço aéreo egípcio.

Entre os passageiros havia uma criança e dois bebês, de acordo com um comunicado publicado pela Egyptair em suas redes sociais.

Trata-se do voo MS804, um Airbus A320 — e não um Boeing 737-800, como a companhia tinha informado em um primeiro momento — que partiu do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, às 23h04 locais (18h04 de Brasília) e deveria ter chegado ao aeroporto internacional do Cairo durante a madrugada.

A companhia relatou que os radares perderam o sinal da aeronave quando esta tinha adentrado pouco mais de um quilômetro no espaço aéreo egípcio, e acrescentou que o avião voava a cerca de 11 mil metros de altitude nesse momento.

No dia 31 de outubro do ano passado, um Airbus A321 da companhia russa MetroJet (Kogalymavia) caiu na península do Sinai com 224 pessoas a bordo após uma explosão em seu interior.

Esse acidente levou vários países a impor restrições de voo com o Egito por motivos de segurança, como a Rússia, que proibiu a companhia aérea Egyptair de voar em seu território.

O acidente e as medidas posteriores significaram um duro golpe para o setor do turismo no Egito, uma das principais fontes de divisas da economia do país.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia