Obama se reúne com sobreviventes da chacina de Orlando

Presidente volta a criticar venda de armas

Por felipe.martins , felipe.martins

Estados Unidos - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu nesta quinta-feira em Orlando com sobreviventes e familiares das vítimas do massacre de domingo na cidade, além de membros das forças de segurança que atuaram no pior ataque a tiros da história do país, com 50 mortos e 53 feridos.

Em rápida declaração, Obama afirmou que o debate sobre as armas “tem que mudar” e instou o Congresso a “fazer o correto” e aprovar medidas para evitar que terroristas possam comprar legalmente no país “armas extraordinariamente perigosas”. “Mais uma vez abracei famílias de luto e me perguntaram por que isto segue acontecendo. Não lhes importam os aspectos políticos, e a mim também não. Este debate tem que mudar”, afirmou Obama.

Barack Obama e o vice%2C Joe Biden%2C após o encontro em estádioEfe

Diretor da CIA, John Brennan alertou ontem que o Estado Islâmico tem um “grande grupo de combatentes ocidentais” com capacidade para realizar atentados por sua conta. “O grupo está explorando uma variedade de métodos para se infiltrar no Ocidente, incluindo fluxos de refugiados, rotas de contrabando e métodos legítimos de viagem”, acrescentou Brennan.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia