Mais Lidas

PGR da Venezuela sob risco

'Não compareci, não vou convalidar com um circo que tingirá nossa história com vergonha e dor, e cuja decisão está cantada', disse ela ao não comparecer ao TSJ

Por thiago.antunes

Caracas - A procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, a funcionária chavista de maior escalão a se rebelar contra o presidente Nicolás Maduro, se negou a comparecer nesta terça-feira ao Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) e está prestes a ser destituída. “Não compareci, não vou convalidar com um circo que tingirá nossa história com vergonha e dor, e cuja decisão está cantada”, disse.

Na ausência da procuradora, o plenário do TSJ realizou audiência de quase três horas e fixou cinco dias para determinar se ela cometeu “faltas graves” para ser removida. “Não cometi crimes e não vou me submeter a este tribunal ilegítimo”, declarou Luisa, afirmando que buscam calá-la para que não continue dizendo “verdades como que na Venezuela há uma ruptura da ordem constitucional”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia