'O mercado de brinquedos brasileiro é o sétimo maior do mundo'

Gerente de marketing da Lego no Brasil, Vivian Marques, conta que estão previstas novas lojas, nos próximos cinco anos. Mas, por enquanto, não há planos de voltar a fabricar aqui

Por diana.dantas

Eleita a marca mais poderosa do mundo em 2015 pela consultoria Brand Finance, a dinamarquesa Lego vê no Brasil um dos principais mercados para continuar crescendo nos próximos anos. “O mercado de brinquedos brasileiro é o sétimo maior do mundo. Temos 19 milhões de crianças de 6 a 11 anos com um grande potencial de consumo”, disse a gerente de Marketing da Lego no Brasil, Vivian Marques, em entrevista ao Brasil Econômico.

A Lego não fala de números locais, mas globalmente fechou 2014 com alta de 13% em sua receita, impulsionada pelos novos brinquedos dos personagens do filme “Uma Aventura Lego”. “O filme provou o grande potencial que nossa marca tem também no mundo do entretenimento”, ressaltou Vivian. O longa, que arrecadou US$ 500 milhões, foi também um dos fatores que ajudou a marca a estar no topo do ranking da Brand Finance.

Para o Brasil, destacou Vivian, estão ainda previstas novas lojas, nos próximos cinco anos. Por enquanto, entretanto, não há planos de voltar a fabricar por aqui.

A Lego divulgou vendas recordes em 2014, chegando as 28,6 bilhões de coroas dinamarquesas (US$ 4,4 bilhões).  Como esses números se refletem no Brasil? 

A Lego não divulga números de crescimento, por ser uma empresa de capital fechado. Mas o Brasil é um dos países-foco de crescimento da empresa nos próximos anos. Abrimos nosso escritório próprio em 2014, temos planos de crescimento ambiciosos, queremos ampliar a participação da marca no Brasil, aumentando o número de crianças brasileiras brincando com Lego.

Qual a importância do mercado brasileiro para a Lego?

O mercado de brinquedos brasileiro é o sétimo maior do mundo. Temos 19 milhões de crianças de 6 a 11 anos com um grande potencial consumidor de brinquedos — que ainda é baixo no Brasil se comparado a mercados mais maduros. Portanto, o Brasil está na lista de países-foco da Lego para os próximos anos.

Como está o mercado brasileiro? Como andam as vendas? Quais os produtos mais procurados?

O mercado total de brinquedos cresceu aproximadamente 5% em 2014, segundo dados da Sim Brasil e da GfK, um pouco abaixo do que era esperado pelo mercado. Porém, é importante destacar que o segmento de brinquedos de construção, onde Lego está inserida, cresceu 29% no mesmo período — tendo sido o segmento com maior crescimento em 2014. Isso nos mostra claramente que os brasileiros estão consumindo nossos produtos.

Há produtos exclusivos para o Brasil? Se não há, pensam nisso?

Não temos produtos exclusivos para o Brasil. Nosso sortimento faz parte do sortimento global. Nós apenas priorizamos as linhas que são mais relevantes para o consumidor brasileiro. Trabalhamos com quatro linhas foco: Lego City, Lego Star Wars, Lego Super Heroes e Lego Ninjago.

De onde vem os produtos vendidos aqui? Pensam em ter novamente produção local?

Os produtos hoje comercializados no Brasil são produzidos em nossa fábrica em Monterrey, no México. Não temos intenção de ter produção local, devido à complexidade para isso. Hoje, temos seis fábricas espalhadas pelo mundo.

Como estão os planos de abertura de lojas desde que a marca resolveu voltar a apostar no Brasil?

Temos seis lojas Lego que são administradas pelo nosso parceiro MCassab. As lojas ficam em São Paulo, Rio Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Recife e Salvador. A abertura de “lojas conceito” é parte importante na nossa estratégia de crescimento regional. Com isso, a Lego cria uma referência no mercado local e, desta forma, estimula as crianças a conhecerem os nossos produtos. Nos próximos cinco anos, temos ambição de abertura de mais lojas. Os locais ainda não foram definidos. As lojas Lego também oferecem produtos exclusivos como a linha Creator Expert e itens como chaveiros, bolsas etc.

Qual o segredo de inovar sem deixar de lado a sua essência?

A missão da Lego no Brasil e no mundo é inspirar as crianças a serem os construtores do amanhã. Independentemente da condição social, toda criança possui algumas necessidades básicas como alimentação, amor, educação, diversão. A brincadeira também faz parte dessas necessidades em todas as fases do desenvolvimento da criança. Independentemente de novas tecnologias, novos comportamentos, brincar será sempre uma necessidade básica. Esse é o segredo do sucesso da Lego nesses últimos anos, não deixar a essência da brincadeira, reinventando a forma de brincar.

A estratégia de filmes e lançamentos parece acertada?

O filme “Uma Aventura Lego”, lançado em 2014, provou o grande potencial que nossa marca tem também no mundo do entretenimento. Sabíamos que o resultado do filme seria muito bom, mas honestamente superou as nossas expectativas. Conseguimos aproximar ainda mais os nossos consumidores do universo Lego e o filme contribuiu significativamente para o aumento da participação da Lego no mercado mundial, consolidando nossa marca ainda mais.

Há um tempo a Lego vem diversificando seu portfólio e indo além dos blocos de montar. Essa estratégia continua? Teremos novidades em breve?

A Lego investe muito em desenvolvimento e pesquisa com consumidores no mundo todo, inclusive no Brasil. Os blocos de montar são e sempre serão a essência da nossa marca. Porém, a empresa entende que existem mudanças no comportamento do consumidor que precisam ser entendidas. A nova geração de crianças criadas em um mundo “high tech” fez com que a Lego enxergasse novas possibilidades de brincar com nossos produtos. Hoje, já temos nos Estados Unidos uma linha chamada Fusion, onde a criança consegue montar nossos produtos e ao mesmo tempo interagir com o mundo virtual. Por enquanto, essa linha está disponível apenas nos Estados Unidos, mas já enxergamos uma grande possibilidade de trazer essa linha para o Brasil nos próximos anos. As crianças brasileiras também estão muito conectadas ao mundo virtual.

Como é ser a marca mais poderosa do mundo, tendo ultrapassado a Ferrari?

A maior preocupação da Lego é de conquistar o maior número possível de crianças que possam ter a experiência de brincar com Lego, contribuindo para o seu desenvolvimento durante toda a fase da infância. Ficamos felizes em sermos reconhecidos como a marca mais poderosa do mundo e esse tipo de reconhecimento só nos dá a garantia de que estamos no caminho certo.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia