Marcas ampliam franquias no Rio para ocupar espaços com baixa concorrência

A visibilidade da cidade e do estado em função dos grandes eventos também faz franqueadoras passarem a incluir o estado na lista

Por monica.lima

“Temos disponibilidade para pelo menos mais dez unidades na capital"%2C diz Sylvia de Moraes Barros da The Kids ClubDivulgação

Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostram que o Rio de Janeiro concentra 12% das franqueadoras do país e 11% do total de unidades franqueadas. Espaço para crescer não falta. A visibilidade da cidade e do estado em função dos grandes eventos também fez franqueadoras que não consideravam o Rio uma praça para expansão passarem a incluir o estado na lista. E um dos motivos está também no fato de que algumas franquias podem inovar no mercado carioca com suas marcas ou encontrar concorrência em menor escala.

“O Rio é uma das cidades brasileiras que vem atraindo cada vez mais marcas franqueadas. Apesar de ser um mercado concorrido, ainda há muitas oportunidades em áreas como moda, alimentos, bebidas e moveleiro”, diz Claudia Bittencourt, sócia-fundadora e diretora geral do Grupo Bittencourt.

Entre as que já decidiram por investir no estado, a Anjos Colchões — rede paranaense com 45 lojas — acredita que o Rio de Janeiro comporte 30 lojas, tanto na capital quanto em cidades menores.

Com 100 lojas franqueadas, nenhuma no Rio, a Água Doce Cachaçaria vai abrir 20 bares em cidades com mais de 150 mil habitantes no estado. Já a britânica The Kids Club, de ensino de inglês para crianças de dois a 11 anos, escolheu cidades a partir de 70 mil habitantes no Rio para abrir novas unidades. “Temos disponibilidade para pelo menos mais dez unidades na capital, e mais 15 filiais em outras cidades, com a oferta da franquia home based”, diz a franqueadora Sylvia de Moraes Barros.

SOLUÇÕES & OPORTUNIDADES

? Com baixo investimento e oportunidades em diferentes segmentos, as franquias do segmento home based (que não exigem o aluguel de uma loja) estarão entre as de maior destaque este ano, segundo Paulo Cesar Mauro, diretor-presidente da consultoria Global Franchise.

Ele afirma que ter o próprio negócio, além de estar na lista de desejos de boa parte da população, poderá vir a ser um caminho em tempos de crise. A Master House, de reformas e manutenção de residências e empresas, está entre as franquias com ofertas de modelos home based a partir de R$ 15 mil. Já a Sr. Computador, especializada em tecnologia da informação (TI) e voltada ao atendimento doméstico e corporativo, tem o custo de R$ 25 mil para a montagem de uma franquia em casa. “Como em qualquer atividade, é preciso comprometimento com o trabalho”, diz Paulo Cesar Mauro.

Franquia de pastéis sobre quatro rodas

A paranaense 10 Pastéis, com 40 lojas franqueadas em todo o país, vai ampliar sua presença no mercado indo além das unidades de rua e de shoppings. O caminho encontrado foi o investimento nos food trucks. A marca, que surgiu em Maringá nos anos 60, já tem modelos disponíveis para interessados. Também está nos planos da empresa abrir lojas franqueadas em contêineres.

Aposta na comida brasileira in box

A venda de comida tipicamente brasileira in box é a proposta da rede Brasileirinho Delivery, hoje com sete unidades em funcionamento. Lançada em 2013, a empresa se inspirou na marca de comida chinesa, China in Box. A expectativa em 2015 é chegar ao final do ano com pelo menos 50 unidades abertas no país.

Novo mix e mais lojas no foco da First Class

A rede de franquias de cama, mesa e banho First Class vai concentrar esforços este ano na reformulação das lojas e ampliação do mix de produtos. A inauguração de novas lojas no Rio, Bahia e Pernambuco também está nos planos para o primeiro trimestre. A estimativa é faturar R$ 250 milhões em 2015.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia