Região Metropolitana tem grande número de apreensões de crack

De janeiro a julho desse ano, quase 20 mil pedras foram recolhidas em Niterói, Maricá, Itaboraí e São Gonçalo

Por bianca.lobianco

Rio - A apreensão de crack de janeiro a julho desse ano nos municípios de Niterói, Maricá, Itaboraí e São Gonçalo está se mantendo no mesmo nível do ano passado. Segundo dados do 4º Comando de Policiamento de Área (CPA), responsável pelos batalhões da região, de janeiro a julho desse ano, nas quatro cidades já foram apreendidas 18.947 pedras. No ano passado todo, esse número foi de 39.494 unidades da droga.

Polícia afirma que maioria dos usuários é de moradores de ruaBanco de imagens

O 12º BPM (Niterói) responsável por Niterói e Maricá é o campeão de apreensões esse ano. De janeiro a julho foram 14.208 pedras. Em segundo lugar está o 7º BPM (São Gonçalo) com 4.173 unidades apreendidas, seguido do 35º BPM (Itaboraí) que apreendeu 566 pedras.

Segundo o comando do 4º CPA, as apreensões são feitas em comunidades durante ações planejadas com base na mancha criminal de cada área. Mas, apesar do número alto de apreensões, a polícia afirma que não existem nesses municípios áreas com grande concentração de usuários de crack. E o consumo da droga acontece, muitas vezes, em alguns locais onde há moradores de rua.

É possível vencer

Preocupados com o avanço do crack na região, os municípios vêm implementando ações de combate à droga. Um deles é Itaboraí, que iniciou esse mês um curso de capacitação para guardas municipais e PMs por meio do Programa Crack, É Possível Vencer, do Governo Federal. Na quarta-feira, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) esteve na cidade dando palestras ao participantes. A cidade vai ganhar uma base móvel de videomonitoramento, 20 câmeras, carros, motos, 50 armas de choque, além de subsídio para saúde e assistência social.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia