Pizzaria mantém tradição do Velho Armazém e investe em programação musical

Parte da decoração e da estrutura do restaurante foi preservada

Por marina.rocha

Camacho (esq.)%2C Lucas Rajão e André Carnevale%3A parceria de sucessoErnesto Carriço / Agência O Dia

Niterói - O polo gastronômico de São Francisco trouxe de volta ao bairro não apenas os frequentadores dos bares e restaurantes, mas novos empreendedores. Muitos se estabeleceram em imóveis que fecharam com a debandada dos clientes que sucumbiram à Lei Seca e passaram a frequentar o Jardim Icaraí, fugindo do bafômetro.

Foi o caso do Bar e Pizzaria Calábria aberta há pouco mais de um mês onde era o Velho Armazém, reduto da boemia niteroiense por quase 30 anos. As centenárias portas da casa foram reabertas pelo empresário carioca Lucas Rajão.

“O Camacho (músico Eduardo Camacho) me falou do ponto. Vi e gostei. Muita gente me chama de maluco porque não fiz pesquisa para abrir o negócio e não sabia nada de Niterói. Apenas trouxe a experiência que já tenho do meu outro estabelecimento” conta ele dono de uma outra pizzaria na Barra, no Rio.

“Contamos sobre os últimos acontecimentos envolvendo o comércio em São Franscisco, mas não foi difícil convencê-lo. O ponto aqui é muito bom”, elogia Camacho, responsável pela programação musical do Calábria. Onde antes rolava o choro de Silvério Pontes e Zé da Velha, agora tem o jazz de André Carnevale, o country music de Camacho e pop rock de nos fin de semana.

“Mas eles só tocam depois dos shows do Bem Dito. Não queremos competir, mas somar”, garante Camacho referindo-se ao bar ao lado.

E se a música é diferente, a pizza não fica atrás. Esqueça tudo o que você já saboreou da iguaria em Niterói. Na Calábria não há ketchup e mostarda, a massa da pizza não leva fermento e os adeptos da malhação tem um cardápio de pizzas fitness com massas à base de batata doce. Mas o prato só é servido à noite. Durante o dia, o local serve petiscos de bar e, sábados e domingos, abre para almoço.

Rajão, no entanto, fez questão de preservar um pouco do espírito do Velho Armazém, mantendo as antigas fotos nas paredes, além de parte da estrutura do bar e das portas, que acompanham o imóvel desde o século passado. E, literalmente, no meio disso tudo, claro, não poderia faltar o forno à lenha, que assa a pizza em dez segundos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia