Jornalistas da Globo são hostilizados durante manifestações pelo Brasil

Durante o protesto do Movimento Passe Livre, o jornalista Caco Barcellos foi chamado de "manipulador" por militantes do PCO

Por O Dia

Jornalista Caco Barcellos%2C da Rede Globo%2C foi hostilizado e impedido de trabalharReprodução Internet

Rio - Os jornalistas da TV Globo vêm encontrando dificuldade para fazer reportagens no meio dos manifestantes que protestam pelo Brasil contra os gastos dos governos. Nesta segunda-feira, a Globo resolveu responder as críticas dos manifestantes, dizendo que não vem cobrindo os protestos desde seu início e que não tem nada a esconder.

O repórter Vandrey Pereira, para não ser agredido durante uma manifestação no Rio na última quinta-feira, teve de ser escoltado por seguranças da Globo após quase ser atingido por pedras e um saco de lixo. Em outros protestos, o repórter já vinha sendo hostilizado.

Os insultos também foram dirigidos ao comentarista global Arnaldo Jabor, que criticou o movimento, dizendo que são de classe média e que não valem nem R$ 0,20 em recente comentário no “Jornal da Globo”. Mais tarde, ele voltou atrás e disse que errou em comentário na rádio "CBN".

O jornalista Caco Barcellos foi hostilizado e impedido de trabalhar por um grupo de aproximadamente 100 manifestantes que participavam da concetração do protesto desta segunda-feira no Largo da Batata, o quinto convocado pelo Movimento Passe Livre

Barcellos foi cercado por manifestantes que, de forma agressiva, tentaram expulsar o jornalista da manifestação aos gritos de “manipulador” e palavrões. Ele ainda tentou argumentar: “Só fui impedido de trabalhar pela ditadura e sob tortura”.

Entre os mais exaltados estavam os militantes do Partido da Causa Operária (PCO): “Eu sou o povo, eu decido quem pode participar”, gritava, Renato Santos, que se identificou como militante do PCO.


Enquanto um grupo hostilizava o repórter da TV Globo, a grande maioria dos manifestantes condenava o ato de agressividade, lembrando que Barcellos se notabiliza pela defesa dos direitos humanos e que chegou a sofrer ameaças de morte, por conta do livro Rota 66 , no qual denuncia execuções praticadas pela tropa de elite da Policia Militar de São Paulo.

'Sem nada a esconder'

Durante o "Jornal Nacional" desta segunda, a apresentadora Patrícia Poeta leu um pequeno editorial da emissora. "A Tv Globo vem fazendo reportagens sobre as manifestações sobre o aumento sem nada a esconder. Os excessos da policia, as reivindicações do Movimento Passe Livre, o caráter pacífico dos protestos e quando houve depredações de ônibus. É nossa obrigação de dela não nos afastaremos".

Últimas de _legado_Brasil