Bebê morre e é guardado na geladeira por orientação médica, diz família do ES

Pai diz que corpo foi entregue em uma caixa de papelão

Por helio.almeida

Espírito Santo - Um casal que perdeu os filhos gêmeos durante o parto contou que passou por um descaso. O marido foi orientado por funcionários de um hospital do Espírito Santo a guardar um dos corpos dentro da geladeira de casa, até que o enterro das crianças fossem feito. O caso foi registrado no sábado.

Geladeira onde ficou o corpo da criança que morreu após o parto prematuroReprodução Internet

Segundo a família, o parto feito no Hospital Menino Jesus, em Itapemirim, foi prematuro. Uma criança não resistiu e faleceu dez minutos após o nascimento. A mãe foi transferida para outro hospital continuar o parto, mas a outra criança também não resistiu.

O corpo do primeiro bebê ficou no hospital onde morreu e foi entregue para o pai em uma caixa de papelão, segundo ele contou. O marido da grávida foi orientado por funcionários do hospital a levar o corpo para casa e o colocar na geladeira até ser sepultado.

A Prefeitura de Itapemirim esclareceu que a unidade não acionou a assistência social após a morte da criança. O Hospital Menino Jesus disse que a direção formou uma comissão para investigar o ocorrido. Todas as pessoas envolvidas no caso serão ouvidas. O prazo para que a investigação seja realizada é de dez dias

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia