Romário assume PSB no Rio e vai devolver cargos a Cabral

Baixinho volta ao partido que o elegeu para substituir Alexandre Cardoso na regional

Por bferreira

Rio - 'Baixinho’ nos campos, Romário tem outro apelido em Brasília, onde a facilidade com que muda de opinião enlouquece os assessores. Lá, o ex-craque é chamado de “Band News”. Por quê? Porque “em 20 minutos tudo pode mudar”, ora. Por isso, mesmo já sabendo qual era a decisão do chefe sobre seu destino partidário ontem, a informação só foi liberada quando ele, finalmente, se sentou ao lado de Eduardo Campos para assinar — de novo — sua ficha de filiação ao PSB, às 19h, em Brasília.

Depois de obrigar Eduardo Campos (D) a cancelar entrevista%2C Romário finalmente se refiliou ao PSB às 19hDivulgação

O medo da equipe do deputado federal era ele mudar de ideia ao longo de um dia interminável. Ontem à tarde, quando tudo estava pronto para o presidente nacional do PSB anunciar a volta do ‘filho pródigo’, a entrevista coletiva foi cancelada. Romário ainda precisava falar uma última vez com o colega Anthony Garotinho, que tentava levá-lo para o PR 

‘Band News’ volta ao PSB sentando na janela e já está no comando da executiva regional no Rio. Seu primeiro anúncio no cargo será a entrega da Secretaria de Ciência e Tecnologia ao governador Sérgio Cabral. Isso inclui todos os cargos secundários que o PSB ocupa na pasta. A quem não concordar, Romário vai lembrar docemente que a porta da rua é a serventia da casa.

O socialista deixou o PSB — partido que o elegeu deputado federal em 2010 — em agosto porque se sentia desprestigiado por Eduardo Campos e porque não via a possibilidade de tentar se cacifar para concorrer à Prefeitura do Rio em 2016. Agora, isso tudo é passado, diz ‘Band News’: se as pesquisas animarem em 2016, ele poderá ser candidato a prefeito, sim.

Sim, é o que parece, o Baixinho é o agente da intervenção que afastou na quarta-feira Alexandre Cardoso do comando do PSB no Rio. O prefeito de Duque de Caxias é acusado de tentar levar socialistas em potencial a se filiar ao PMDB, o que ele nega.

“É uma grande satisfação voltar ao PSB e presidir a comissão que vai dar nova roupagem ao partido, que está de portas abertas a quem quiser fazer uma política decente no Rio”, disse Romário quando lhe perguntaram se ele iria tentar filiar o ex-jogador Edmundo.

Baixinho poderia ser até vice de Garotinho

Na mesa de negociação, o deputado federal Anthony Garotinho colocou todas as propostas possíveis. No PR, Romário poderia se candidatar ao que quisesse em 2014, o que incluía deputado federal, senador e até a vice-governador na chapa de Garotinho. E mais a prefeito do Rio em 2016, se o ‘casamento’ desse certo.

Por que não Clarissa candidata à prefeitura pelo PR na sucessão de Eduardo Paes (PMDB)? Porque Garotinho não trabalha com outra possibilidade que não seja a de ser eleito governador em 2014. Simples assim.

Se o parlamentar estiver certo e virar mesmo governador do Rio ano que vem, em 2016 sua filha não poderá se candidatar a prefeita. Portanto, ao que parece, abriu vaga para pré-candidato à Prefeitura do Rio pelo PR em 2016. E 2014 nem chegou ainda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia