Rio Grande do Norte registra tremor de 3,7 graus na escala Richter

Técnico do laboratório da UFRN afirma que não há como prever novos abalos sísmicos

Por bianca.lobianco

Rio Grande do Norte - Depois de registrar tremores de terra considerados leves nos últimos dois dias, o município de Pedra Preta, a 135 quilômetros da capital Natal, teve nesta sexta-feira o abalo sísmico mais forte já observado no local, de magnitude 3,7 na escala Richter. De acordo com o técnico do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Eduardo Menezes, o evento ocorreu pouco depois das 8h (horário local) desta sexta-feira, em meio a, pelo menos, outros cinco tremores de menor intensidade, e teve epicentro no distrito de Cabeço Preto. Os abalos desta quinta-feira à noite e de quarta foram de magnitude 3.

Menezes explicou que uma falha geológica na região motivou os tremores, que são monitorados há pelo menos três anos pelo laboratório. "Trata-se de uma falha geológica que provoca uma atividade natural para a região. A população já sabe dessas ocorrências, mas o de hoje assustou mais porque, pela magnitude, teve potencial para provocar movimento de telhas e objetos dentro das casas", disse.

O técnico do laboratório acrescentou que não há como prever novo tremor nos próximos dias, mas enfatizou que "não se pode descartar a hipótese". Segundo ele, o tremor de hoje foi sentido em vários municípios, incluindo a capital potiguar.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia