Lindbergh é confirmado como pré-candidato ao governo do Rio

Senador agora luta contra o tempo para achar aliados. Brizola Neto sinalizou com dissidência no PDT

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Brizola Neto (com microfone) diz que foi ‘à revelia’ do PDT do RioCarlo Wrede / Agência O Dia

São Paulo - Encontro da executiva estadual do PT confirmou neste sábado a pré-candidatura do senador Lindbergh Farias ao governo do Rio. O presidente nacional do partido, Rui Falcão, e o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, foram ao evento, sinalizando que a candidatura no Rio é inegociável. Mas nenhum dos dois fez críticas ao governador Sérgio Cabral (PMDB), que terá candidato contra Lindbergh, mas é aliado da presidenta Dilma Rousseff.

O nome de Lindbergh foi referendado por 350 delegados do partido, e agora seu maior desafio é formar alianças. Mas ontem mesmo o ex-ministro do Trabalho, Brizola Neto, subiu ao palanque para dizer que pretende abrir uma dissidência no PDT, hoje mais próximo do pré-candidato do PMDB, Luiz Fernando Pezão. “Estou aqui à revelia do meu partido porque a direção o está levando para o descaminho. Não vamos mais aceitar apoio em troca de cargos”, disse Brizola Neto.

Presidente regional do PDT, o também ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi não polemizou, mas mandou recado: “Agora é a hora de todo mundo manifestar sua opinião. Mas quando o partido decidir um apoio, todos serão obrigados a seguí-lo.”

Em discurso, Lindbergh lembrou projeto do avô de Brizola Neto, Leonel Brizola, e prometeu recuperar 503 Centros Integrados de Educação Pública, os Cieps. O senador citou o ex-governador do Rio como uma de suas duas inspirações: “Eu me inspiro sempre no eterno presidente Lula por tudo o que ele fez pelo povo desse país. O outro é Leonel Brizola, que teve a coragem de colocar as prioridades do povo em primeiro lugar.”

Quanto a alianças, Lindbergh anunciou que pretende conversar com dois deputados federais hoje pré-candidatos ao governo do Rio, Miro Teixeira (Pros) e Alfredo Sirkis (PSB). “Temos uma identificação histórica com esses candidatos”, avaliou.

Entre os petistas presentes estava o secretário municipal de Saúde de Niterói, ex-deputado federal Chico D’Angelo. Chico integra o governo do prefeito Rodrigo Neves (PT), que ainda defende a aliança PT-PMDB no estado.

Reportagem: Luisa Brasil

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia