Protestos contra a Copa do Mundo chamam atenção da imprensa internacional

Site do jornal The New York Times publicou que as manifestações são um teste para o governo brasileiro mostrar habilidade em garantir a segurança durante o Mundial

Por tamara.coimbra

São Paulo - Os protestos contra a Copa do Mundo, que ocorreram nesta quinta-feira em várias cidades brasileiras, ganharam repercussão internacional. O site do jornal espanhol El País traz nesta sexta uma reportagem que diz que os protestos contra o Mundial se espalharam pelo Brasil. A publicação destaca que 50 cidades brasileiras convocaram manifestações e que, em São Paulo, os protestos foram impulsionados pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que reivindicam mais moradias. O jornal ressalta ainda o clima de tensão na cidade e que houve queima de pneus e interrupção de algumas avenidas.

Manifestantes protestaram contra a Copa do MundoAndré Mourão / Agência O Dia

O site do jornal The New York Times publicou uma reportagem, com o título "Onda de Protestos contra o Governo Começa no Brasil", dizendo que pneus foram furados e avenidas bloqueadas em manifestações que tentam chamar a atenção para os problemas de habitação e educação, a menos de um mês da Copa. O jornal norte-americano destaca que centenas de pessoas, que criticam os bilhões de reais gastos para sediar a competição, protestaram em São Paulo, perto do Itaquerão, um dos estádios construídos para o Mundial. Segundo a reportagem, as manifestações são um teste para o governo brasileiro mostrar habilidade em garantir a segurança durante a Copa do Mundo.

Já do site da britânica BBC destaca nesta sexta-feira que, apesar das mobilizações em 14 capitais do país e algumas ações de impacto, os protestos ficaram aquém do esperado pelos grupos envolvidos na convocação, que anunciavam a volta das grandes multidões de manifestantes às ruas, como em junho do ano passado.

O jornal argentino El Clarín também destacou as manifestações em seis cidades brasileiras nesta quinta. Segundo a publicação, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza tiveram ruas bloqueadas por ativistas. O site do jornal informou que os manifestantes têm demandas diversas, mas em comum têm o fato de serem contrários aos gastos públicos com o Mundial.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia