Executiva do PT defende expulsão de deputado acusado de ligação com PCC

No entanto, decisão sobre a situação de Moura só será tomada nesta sexta-feira pelo Diretório Regional do PT

Por leonardo.rocha

São paulo - A Comissão Executiva do PT de São Paulo aprovou nesta quinta-feira, por unanimidade, parecer favorável à expulsão do deputado estadual Luiz Moura, acusado de envolvimento com o Primeiro Comando da Capital (PCC) e também de causar danos à imagem do partido. No entanto, a decisão sobre a situação de Moura só será tomada nesta sexta-feira pelo Diretório Regional do PT.

O presidente regional do partido, Emídio de Souza, informou que já convocou o diretório e espera que os integrantes do colegiado referendem a decisão tomada hoje pela Executiva. Ele deixou claro que só o diretório estadual pode expulsar o deputado.

Segundo o dirigente petista, Luiz Moura teve amplo direito de defesa e de apresentar o contraditório. “Garantimos a ele o mais amplo direito de defesa. Ele foi ouvido por uma comissão, pela bancada e pela Executiva”. Emídio de Souza lembrou que o deputado poderia apresentar, até ontem (30), oito testemunhas de defesa, mas não apresentou nenhuma.

“Ontem, ele [Luiz Moura] encaminhou documento pedindo a anulação do processo dele. A decisão da Executiva está tomada e espero que seja confirmada amanhã", disse Souza. Para ele, cabe aos partidos políticos "filtrar" aqueles que militam nas legendas. “Nós não temos tolerância com qualquer malfeito”, afirmou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia