Para Dilma, fraude em CPI é com o Congresso

Presidenta diz que parlamentares devem esclarecer se perguntas a dirigentes da Petrobras vazaram

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - A presidenta Dilma Rousseff afirmou, nesta segunda-feira, que o Congresso Nacional é que deve explicar a antecipação, para a presidenta da Petrobras, Graça Foster, o ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli e o ex-diretor da Área Internacional Nestor Cerveró, do gabarito de perguntas que seriam feitas a eles pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga denúncias de irregularidades na estatal. O vazamento das perguntas foi noticiado na edição de domingo da revista ‘Veja’. Segundo a denúncia, os três foram treinados para responder às perguntas da CPI.

Dilma foi abordada sobre o assunto durante visita a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) Jardim Jaci, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo. “Esta é uma questão que deve ser respondida pelo Congresso”, disse a presidenta.

Em Guarulhos%2C Dilma visitou uma unidade de saúde e se esquivou de comentar a denúncia de vazamento de perguntas da CPI da Petrobras Divulgação

Nesta segunda, o presidente da CPI, senador José Pimentel (PT-CE), divulgou nota em que informa ter tomado medidas para apurar a suspeita de fraudes no trabalho. No texto, ele afirma ainda que não vai se afastar da presidência da Comissão.

Com isso, Pimentel tenta resistir à pressão de aliados do governo e de opositores para que deixe o comando dos trabalhos. Membros de partidos de oposição querem que Conselho de Ética do Senado apure se houve quebra de decoro de José Pimentel no vazamento.

Mas o presidente da CPI nega qualquer envolvimento na antecipação das perguntas. Na nota divulgada ontem, ele disse nunca ter se reunido com pessoas investigadas. Segundo ele, o plano de trabalho da CPI foi aprovado no dia 14 de maio por unanimidade com a relação de perguntas a serem feitas aos convocados.

Opositores cobram explicação do governo e do PT

O candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos, reagiu à declaração de Dilma Rousseff dizendo que ela tem responsabilidade no caso por ter presidido o conselho administrativo da Petrobras por oito anos e por ser presidenta da República. “Há uma articulação com senadores da base dela e com gente do governo para treinar as perguntas e as respostas antes. E ela dizer que não tem nada a ver com isso?”.

Já o candidato do PSDB à presidência, o senador Aécio Neves, classificou a denúncia da ‘Veja’ como gravíssima. “São denúncias de extrema gravidade, que envolvem senadores, servidores da Petrobras e da presidência. Se isso ocorreu é um enorme desrespeito”, afirmou.

A direção da Petrobras não comentou ontem o suposto envolvimento de diretores da estatal no vazamento das perguntas que seriam feitas à presidente Graça Foster e ao ex-presidente Sérgio Grabrielli.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia