Enterro de Eduardo Campos muda a rotina de cemitério no Recife

Ex-governador será sepultado possivelmente no domingo, no mesmo túmulo do avô Miguel Arraes

Por thiago.antunes

Refice - O enterro do ex-governador Eduardo Campos, previsto para domingo, já mudou a rotina no Cemitério Santo Amaro, o maior do Recife. Nesta quinta-feira, dezenas de pessoas foram ao local prestar uma homenagem antecipada a Campos, que será enterrado no chão, como seu avô, o também ex-governador Miguel Arraes.

O túmulo, bastante simples, está bem cuidado, com um pequeno jardim ao redor, e passaria despercebido por qualquer visitante se não fosse o número de admiradores a sua volta.

O cemitério onde será enterrado o corpo de Eduardo Campos recebeu dezenas de pessoas que foram ver o túmulo onde está enterrado Miguel Arraes%2C avô do ex-governadorErnesto Carriço / Agência O Dia

"Meu pai me ensinou a nunca deixar de votar em ninguém da família do ex-governador Arraes porque foi ele quem fez pelo nosso sertão. Era um orgulho de Pernambuco", disse o pedreiro Eduardo Francisco Silva, de 55 anos, morador de Carpina, na Zona da Mata, onde segundo ele "candeeiro dá choque e boi dá leite".

O motorista de ônibus Dário Manoel Silva, 58 anos, morador de Garanhuns, terra do ex-presidente Lula, também fez questão de ir ao cemitério rezar pela alma de Eduardo Campos. "Ele ia mudar o Brasil. Com ele não tinha conversa fiada. Foi educado pelo avô para fazer o melhor para quem precisa. Foi o Arraes quem levou água e luz para o interior, meu filho", disse Dário, emocionado.

Funcionários da prefeitura fizeram faxina completa nos últimos diasErnesto Carriço / Agência O Dia

De acordo com o chefe da Divisão de Necrópoles do Recife, Petros Tejo, o número de visitantes ao Cemitério Santo Amaro aumentou em 50% apenas nesta quinta-feira. Cerca de 200 funcionários da prefeitura do Recife foram deslocados para fazer uma limpeza no local, que deverá receber milhares de pessoas no enterro de Eduardo Campos.

Corpos serão liberados até sexta

Os corpos das vítimas do acidente com o avião onde estava Eduardo Campos só devem ser liberados do Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo entre esta quinta e sexta.  Em entrevista, o governador Geraldo Alckmin disse que os trabalhos de identificação dos sete corpos são complexos e podem levar mais dois dias para serem concluídos.

O recolhimento dos restos mortais no local onde o avião caiu já foi finalizado. Segundo o governador de São Paulo, faltava apenas o perfil genético de um dos pilotos de Governador Valadares (MG), mas um perito foi deslocado ontem mesmo para a cidade mineira para colher material de um parente de primeiro grau da vítima.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia