Gigante dos alimentos é multada por trabalho degradante

Dona da Sadia e Perdigão vai pagar R$ 1 milhão por causa de más condições de tralhadores

Por bferreira

Paraná - Dona das marcas Sadia e Perdigão, a BRF foi condenada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, no Paraná, a pagar indenização de R$ 1 milhão por manter trabalhadores em condições degradantes. A empresa fora denunciada em 2012 pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que flagrou empregados em condições análogas à escravidão.

A irregularidade foi flagrada em uma fazenda arrendada pela BRF na cidade de Iporã. Os problemas iam de jornada excessiva e condições precárias dos alojamentos até a contaminação da água fornecida aos trabalhadores para consumo.

A empresa deverá ainda cumprir obrigações quanto a higiene, saúde, segurança e medicina do trabalho, em relação a trabalhadores que, de forma direta ou indireta, prestem serviços a ela na atividade de reflorestamento. A indenização será destinada à compra de veículos e equipamentos para o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) usar em fiscalizações no meio rural.

Segundo o procurador do Trabalho Diego Jimenez Gomes, responsável pelo caso, a situação configurava trabalho degradante por desrespeitar direitos básicos da legislação trabalhista, causando repulsa e indignação. “Isso fere o senso ético da sociedade”, afirmou ele.

A BRF alega que as atividades de reflorestamento eram feitas por empresa terceirizada, o que afastaria sua responsabilidade. Mas a Justiça do Trabalho entendeu que a empresa também era responsável pela garantia de um meio ambiente de trabalho saudável.

A assessoria de imprensa da BRF, em nota, negou “ter tomado conhecimento das práticas irregulares apontadas na decisão do TRT da 9ª. Região (PR) durante o período da prestação de serviços pela empresa contratada (SLS Reflorestadora)”.

GIGANTE DOS ALIMENTOS

A BRF é uma gigante do ramo de produtos alimentícios surgida da fusão entre Sadia e Perdigão, além de ser dona das marcas Batavo, Elegê e Qualy. A empresa tem 49 fábricas em todas as regiões do País e mais de 100 mil funcionários. Em 2013, a receita líquida foi R$ 30,5 bilhões e o lucro líquido consolidado foi de R$ 1,1 bilhão.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia