Mais Lidas

Ex-gerente é acusada de irregularidades

Venina Venola da Fonseca teria beneficiado empreiteira de cartel

Por bferreira

São Paulo - Relatório de comissão de sindicância interna da Petrobras que apurou irregularidades nos contratos de construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, citou a ex-gerente da empresa Venina Venola da Fonseca como responsável por irregularidades que resultaram em perda de R$ 25 milhões para a estatal. Afastada da empresa por causa da suspeita, Venina acusa a presidenta da Petrobras, Graça Foster de, mesmo avisada por ela, não ter investigado os casos de corrupção.

O resultado do relatório indica que os prejuízos na construção da unidade chegaram a R$ 4 bilhões por causa da não observação, por funcionários, de regras da empresa. No relatório, Venina é citada por ter assinado documento que beneficiaria uma das empreiteiras que formaram o cartel denunciado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

A ex-gerente, segundo a sindicância, teria agido a pedido de Paulo Roberto Costa, que era diretor de Abastecimento da Petrobras na época. Beneficiado por acordo de delação premiada, o ex-executivo confessou participar do esquema de fraudes em licitações e contratos e pagamento de propina a diretores e funcionários da estatal pela empresas.

Afastada da Petrobras este mês por causa das suspeitas de irregularidades, Venina entrou com uma ação na Justiça contra a empresa por assédio moral.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia