Mais Lidas

Nestor Cerveró chega a Curitiba e vai cumprir prisão na sede da PF

Ex-diretor da Petrobras deve prestar depoimento nesta quarta-feira. O advogado de Cerveró orientou seu cliente a não falar

Por paulo.lima

Curitiba, PR - O ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cuñat Cerveró, desembarcou no Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, por volta das 8h desta quarta-feira. Ao chegar na capital paranaense, Cerveró foi levado para a sede da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida. O ex-diretor foi preso na madrugada, quando desembarcou do Aeroporto do Galeão após chegar de uma viagem à Londres.

Ex-diretor da área internacional da Petrobras%2C Nestor Cuñat Cerveró foi preso no início da madrugada desta quarta-feira ao desembarcar no Rio de JaneiroDivulgação / Agência Brasil


Cerveró é acusado de envolvimento nos crimes investigados pela Operação Lava Jato, da Polícias Federal, que teve início em maio de 2014. Em nota, o Ministério Público Federal (MPF) informou que foi cumprido um mandato de prisão preventiva, pois "há indícios de que o ex-diretor continua a praticar crimes e se ocultará da Justiça".

O MPF também confirma ter obtido informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) as quais logo após o recebimento da denúncia, o ex-diretor tentou transferir o valor de R$ 500 mil para sua filha. Ainda de acordo com o MPF, Cerveró transferiu três apartamentos recentemente com recursos de origem duvidosa, por valores menores do que estes realmente valeriam.

O Ministério Público Federal entendeu que as acusações contra o ex-diretor são graves. "A custódia cautelar é necessária, também, para resguardar as ordens pública e econômica, diante da dimensão dos crimes e de sua continuidade até o presente momento, o que tem amparo em circunstâncias e provas concretas do caso", finaliza a nota do MPF.

Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, o advogado do ex-diretor, Edson Ribeiro, conta que orientou o cliente a permanecer calado durante o depoimento, que está previsto para acontecer ainda nesta quarta-feira. "A ordem que eu dei é que ele não preste depoimento. Desde o dia 1º de abril de 2014 eu apresentei o Nestor Cerveró à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal para prestar depoimento. Nennhum dos órgãos o ouviu", disse o advogado.

Edson Ribeiro também garantiu que seu cliente não falará "enquanto não for solto". Ribeiro deve seguir para a justiça federal de Curitiba para ter acesso ao mandado de prisão de Cerveró. À noite, o advogado segue para Porto Alegre, onde irá impetrar o habeas corpus.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia