Vigilantes paralisam atividades e bancos ficam fechados no Distrito Federal

De acordo com diretor do Sindicato, objetivo é parar 100%, incluindo órgãos federais, bancos, hospitais e UPAs

Por victor.duarte

Brasília - Vigilantes do Distrito Federal (DF) iniciaram nesta quinta-feira uma greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada na noite desta quarta-feira, durante assembleia no Setor Bancário Sul. A categoria estima que aproximadamente 70% dos 24 mil trabalhadores tenham aderido ao movimento.

Diversas agências bancárias permanecem fechadas, porque, de acordo com a lei, bancos não podem oferecer atendimento sem a presença de um vigilante.

“O objetivo é parar 100%. Isso inclui órgãos federais, bancos, hospitais e UPAs [unidades de pronto-atendimento]”, informou Luiz Paulo Gomes, diretor do Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal.

Segundo ele, o sindicato patronal apresentou proposta que não agradou aos vigilantes. Ela inclui um aumento salarial de 7%, a retirada de uma cláusula do acordo coletivo que garante estabilidade ao trabalhador afastado e a criação de um piso para a categoria.

Conforme o sindicalista, nova assembleia deve ser feita no fim da tarde de hoje para avaliar o primeiro dia da greve. “Se a proposta apresentada for decente, com certeza, a categoria votará a favor do fim da greve”, disse.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia