Polícia identifica grupo que jogou ácido em calouros

Ataque foi durante trote em faculdade

Por felipe.martins , felipe.martins

São Paulo - A Polícia Civil de São Paulo anunciou nesta quinta-feira que já tem o nome de cinco suspeitos de atacar na segunda-feira com um líquido corrosivo calouros da Faculdades Adamantinenses Integradas, em Adamantina, em São Paulo. Uma das vítimas, a estudante Nathália de Souza Santos, de 17 anos, sofreu queimaduras graves nas pernas, e outra, um aluno que não teve o nome revelado, atingido no olho, corre risco de ficar cego.

Bruna Massuia Soares, 23, que, como Nathália, ia para o primeiro dia de aula na faculdade de Pedagoia e estava com a colega, sofreu ferimentos leves nas pernas. A outra vítima é estudante de Biologia e não teve o nome divulgado pela polícia.

A delegada Patrícia Tranque Vasques, da Delegacia de Defesa da Mulher, informou que todos os investigados são alunos veteranos da Faculdade. A suspeita é que eles usaram uma mistura na qual havia algum ácido. A policial afirmou que já tem a descrição dos agressores e seus nomes. Para chegar a eles, usou fotos feitas por estudantes. Segundo ela, está sendo feito um levantamento com ajuda da Faculdade para descobrir seus endereços e intimá-los.

Nesta quinta-feira, o diretor-geral da unidade de ensino, Márcio Cardim, prometeu expulsar todos os alunos que estiverem envolvidos na agressão. Mas classificou o ataque no trote de segunda-feira como um “caso isolado”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia