Governo da Indonésia protesta contra Brasil

Promotor do caso de Rodrigo Gularte informou que brasileiro será executado em breve

Por bferreira

Brasília - O Itamaraty confirmou que o embaixador brasileiro em Jacarta, Paulo Soares, recebeu uma nota de protesto do Ministério das Relações Exteriores da Indonésia pelo fato de a presidenta Dilma Rousseff ter se recusado a receber as credenciais do novo embaixador indonésio no Brasil, Toto Riyanto.

Preso desde 2004, Gularte foi diagnosticado com esquizofreniaReprodução

Condenado à pena de morte por tráfico de drogas na Indonésia, o brasileiro Rodrigo Gularte deverá ser fuzilado dentro das próximas quatro semanas. A declaração foi dada pelo promotor indonésio do caso, um dia depois de o governo do país ter chamado de volta o seu embaixador no Brasil pelo mal-estar provocado com a decisão da presidente em adiar a cerimônia oficial de apresentação do diplomata.

Paulo Soares recebeu a nota em mãos anteontem à noite ao ser convocado para uma reunião na chancelaria do país asiático. A assessoria de comunicação do Itamaraty não divulgou o teor da carta.

O governo da Indonésia já chamou Riyanto de volta ao país. O diplomata só foi comunicado da decisão quando já estava no Palácio do Planalto, na manhã de sexta-feira, para participar da cerimônia de entrega de credenciais de cinco novos embaixadores.

Nos bastidores, diplomatas avaliaram que Jacarta optou por não adotar uma resposta drástica, como a de ordenar a saída do embaixador brasileiro da Indonésia. A recusa em receber as credenciais foi a forma encontrada pelo governo brasileiro de protestar pela execução do brasileiro Marco Archer, em janeiro, por tráfico de drogas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia