Professores do Paraná suspendem greve e aulas começam na quinta-feira

Greve da categoria afetou 970 mil alunos das 2,1 mil escolas estaduais, segundo o governo do Paraná

Por victor.duarte

Paraná - Professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná decidiram, em assembleia nesta segunda-feira, suspender a greve das categorias, que já durava 29 dias. O Sindicato dos Professores do Paraná (APP-Sindicato) informou que os trabalhadores devem voltar às escolas nesta terça-feira e as aulas começam na quinta-feira.

De acordo com o sindicato, nesses dois dias, os professores vão reorganizar as turmas e escolas. Apesar do retorno, os docentes aprovaram a manutenção do estado de greve. Isso significa que a paralisação pode ser retomada caso o governo estadual descumpra algum dos acordos firmados desde o início do movimento.

Em nota, a Secretaria de Educação do Paraná informou que vai convocar as lideranças grevistas para estabelecer um cronograma de reposição das aulas. “A Secretaria da Educação iniciou um esforço concentrado e está convocando diretores, professores e funcionários para que assumam o compromisso de deixar as escolas preparadas para receber os estudantes após o fim da greve do magistério”. A greve afetou 970 mil alunos das 2,1 mil escolas estaduais, segundo o governo do Paraná.

Com a greve, a categoria conseguiu o pagamento da rescisão contratual dos professores temporários, a garantia do pagamento do terço de férias dos professores da educação básica e das instituições de ensino superior do estado até o dia 31 deste mês.

As principais reivindicações que ainda mantinham os professores em greve eram o pagamento de promoções, que está atrasado, e a progressão de carreira. Na última sexta-feira, o governo do Paraná prometeu quitar os atrasados dos funcionários até agosto, e dos professores até outubro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia