Secretário de SC diz que não há previsão para incluir ostras na merenda

De acordo com vereador Edson Lemos, autor da lei, moluscos no cardápio podem ajudar a combater a obesidade infantil

Por victor.duarte

Santa Catarina - O secretário de Educação de Florianópolis, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, afirmou que a lei que autoriza o município a incluir ostras e mariscos na merenda escolar não está no planejamento do poder executivo, por isso não há previsão de quando o alimento será incluído no cardápio.

O prefeito Cesar Souza Júnior havia vetado a lei, mas os vereadores derrubaram o veto e aprovaram a proposta no dia 13 de março. O secretário disse que já houve uma tentativa de incluir o ostras e mariscos no cardápio das merendas escolares, mas o alimento não foi muito bem aceito pelos alunos.

Segundo vereador Edson Lemos, autor da lei, moluscos podem ajudar a combater a obesidade infantilDivulgação / Epagri

Rodolfo Luz comentou que a lei é válida e que é interessante pela experiência de diversidade na alimentação para as crianças. Porém, admitiu ter uma dificuldade pela questão da oferta do produto, o alto preço, período do ano, além da aceitação.

"As crianças têm que aprender a gostar. É como a gente, não se come ostra todo dia. Em uma ocasião, servimos risoto de ostra. Uma menina separou de um lado o arroz e de outro a ostra. Perguntei se estava gostando e ela respondeu que não. Mas ela não tinha experimentado, só olhou o aspecto e não quis", complementou o secretário.

De acordo com o vereador Edson Lemos, autor da lei, os moluscos no cardápio podem ajudar a combater a obesidade infantil, pois "são ricos em nutrientes e estimulam a maricultura local"

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia