Serra e FHC unificam discurso contra pedido de impeachment

Os dois não veem motivo para processo

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - O senador José Serra (PSDB-SP) engrossou o coro do grupo de tucanos contrário à abertura de processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Em palestra na Universidade de Harvard (EUA), Serra afirmou que “impeachment não é programa de governo de ninguém” e defendeu que a oposição precisa ter responsabilidade.

“Impeachment é quando se constata uma irregularidade que, do ponto de vista legal, pode dar razão a interromper um mandato. E eu acho que essa questão ainda não está posta”, afirmou o senador, em palestra proferida no sábado.

Em palestra, Serra disse que oposição precisa ter responsabilidade Foto%3A Reginaldo Castro / Agência O Dia

As declarações de Serra foram dadas um dia antes do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também defender, no Fórum de Comandatuba, no Sul da Bahia, que pedido de impeachment depende de fatos objetivos e que seria “precipitação” abrir um processo neste momento.

A fala de Fernando Henrique e de Serra contraria o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), no momento em que o partido articula um pedido de impeachment da presidenta . Parte dos tucanos quer a abertura de processo contra Dilma, caso se comprove a participação dela nas chamadas “pedaladas fiscais” — manobras feitas pelo Tesouro com dinheiro de bancos públicos para reduzir artificialmente o déficit do governo em 2013 e 2014.

Para Serra, o clima para o impeachment se deve ao desejo de “três quartos da população” que está insatisfeita. “É óbvio que a crise é toda responsabilidade do governo. Não é a ação da oposição, nem do Ministério Público, nem do Congresso”, afirmou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia