Denarc do Rio Grande do Sul faz  a maior apreensão de ecstasy da história

Segundo o delegado responsável pela operação, dois suspeitos foram detidos. Um deles seria o chefe da quadrilha

Por marcelle.bappersi

Rio Grande do Sul - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul apreendeu 2,3 mil comprimidos de ecstasy na manhã desta quinta-feira, em Esteio, Rio Grande do Sul. Segundo o delegado Mario Souza, da 1ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico (Din), a apreensão foi a maior da história do órgão.

Denarc prendeu homem apontado como líder da quadrilha e seu braço direitoDivulgação

A ação terminou às 6h, quando policiais abordaram dois suspeitos em um corsa. Com eles, foi encontrado parte das drogas, e o restante, estava em uma casa, no centro da cidade. De acordo com a polícia, um dos suspeitos, um homem de 28 anos, morador de Florianópolis, Santa Catarina, seria o chefe da quadrilha. O comparsa dele, considerado o "braço direito", também de 28, foi detido.

Segundo o delegado, as drogas abasteceriam as festas eletrônicas que aconteceriam na capital, Região Metropolitana e Serra. "Nos próximos dias, deve haver um evento de festas eletrônicas na Serra e, com certeza, boa parte iria para este evento.", disse.

A ação é resultado de sete meses de investigação.Divulgação

Durante os sete meses de apuração, feita em sigilo para não atrapalhar as investigações, 14 suspeitos ligados à organização criminosa foram presos. Segundo o Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), o grupo movimentou cerca de 11 mil comprimidos de ecstasy.

O delegado Souza suspeita de que a droga foi produzida em Santa Catarina, onde moravam os dois suspeitos presos nesta madrugada, e trazida ao estado. E ele estima que as drogas seriam distribuídas ."As drogas vinham de várias formas. De ônibus e de carro na maior parte das vezes", acrescenta o delegado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia