Mais Lidas

Chegou a hora de disputar uma vaga no MP da União

Com provas no próximo domingo, candidatos devem investir nas revisões e descansar

Por bferreira

Chegou a hora das provas do concurso para o Ministério Público da União (MPU). São 798 mil inscritos para disputar 147 vagas. As provas acontecem no próximo domingo e, para sair na frente da concorrência, os candidatos devem aproveitar a semana e revisar os conteúdos, mas sem abrir mão do descanso e da saúde.

Do total de vagas, 38 são para o cargo de analista processual, que exige Nível Superior e conta com 449 mil candidatos. A remuneração inicial é de R$ 7.506,55. Já as 109 vagas restantes são para o cargo de técnico, que exige Nível Médio e teve 349 mil inscritos. O salário é de R$4.575,16.

De acordo com Juarez Lopes, especialista em leitura dinâmica e memorização do Instituto de Otimização da Mente (IOM), o ideal é que o candidato estude, no máximo, até dois dias antes da prova. “O estresse provocado até o momento da avaliação aumenta as chances de que o candidato tenha o famoso ‘branco’ na hora da prova e veja seu sacrifício ir por água abaixo”, explica.

VÉSPERA É PARA DESCANSO

Diretor do Concurso Virtual, Marcelo Marques afirma que a intensidade de estudos varia conforme a necessidade. “Se a pessoa está confiante, recomendo que pise no freio. Mas se falta estudar alguma coisa, esse é o momento”, diz.

O especialista alerta para a importância de se alimentar bem e fazer exercícios. A atividade física melhora o desempenho do cérebro e estimula a memória.

Para a véspera da prova, a recomendação é relaxar. Marques afirma que o candidato não pode deixar a ansiedade dominar. “O importante é se concentrar e ficar confiante”, orienta. Juarez Lopes, por sua vez, sugere que o candidato faça atividades leves, como ir ao cinema ou à praia, e garante que quem estudou tem boas chances de ser aprovado. “Se 5% dos concorrentes estiverem preparados, é muito. Nessa hora, determinação é fundamental”, incentiva.

Provas elaboradas pela Cespe/UnB exigem atenção dos candidatos

De acordo com os especialistas, as questões elaboradas pela organizadora, a Cespe/UnB, costumam exigir atenção redobrada dos candidatos. “Como são de certo e errado, é preciso tomar cuidado, pois em um só comentário podem estar contidos itens dos mais variados temas e não necessariamente relacionados entre si”, alerta Marcelo Marques.

Segundo Juarez Lopes, as provas exigem alto grau de interpretação. “Atenção aos pequenos detalhes do enunciado. As ‘pegadinhas’ são uma característica da banca”, diz. Além disso, o especialista explica que nesse tipo de prova é mais vantajoso deixar as questões em branco do que marcar qualquer alternativa, sem ter certeza. Como cada questão errada anula uma certa, o candidato evita perder pontos.

Com duração de três horas e meia, as provas acontecem na parte da manhã para os cargos de analista e à tarde para técnico. A recepcionista Andreza Sodré, 36 anos, vai fazer a prova no domingo e acredita que o tempo poderia ser maior. “Acho que precisaria de cinco horas. Mas sempre começo a prova pela matéria que me familiarizo mais, para depois fazer as mais difíceis. Assim, otimizo o tempo”, explica.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia