Avança projeto que veta posto em mercado

Lei fixará distância dos locais de venda de combustíveis

Por bferreira

Rio - O projeto de lei que regulamenta a instalação e reforma de postos de combustíveis em todo o país veta a abertura de unidades em hipermercados mas abre polêmica sobre a ingerência da União em matérias de competência dos municípios. Na última quarta-feira, o relator do PL 866/2011 na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, Ademir Camilo (PSD-MG), apresentou parecer favorável à proposta que estabelece distâncias mínimas necessárias para a construção dos postos.

Mas especialistas questionam a constitucionalidade da matéria. “Temas de ocupação do solo urbano são de competência privativa dos municípios”, argumenta o advogado Carlos Ibanez, da R. Cunha Advogados Associados, escritório que atende a mais de cem postos de combustíveis em São Paulo. Segundo ele, aprovada a lei, haverá ações judiciais questionando a aprovação.

O autor do projeto, deputado Onofre Santo Agostini (PSD/SC), afirma que não há inconstitucionalidade, já que a lei visa regulamentar um setor que envolve temas ambientais e de segurança. “Foi exatamente pensando em conter absurdos como a construção de posto em hipermercado que criamos a lei”, diz.

Segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, há hoje 51.516 postos no país.

Reportagem de Edla Lula

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia