Confiança do setor de serviços fica praticamente estável em setembro

Alta de 0,7% do Índice de Expectativas foi influenciada pela demanda prevista, que avançou 2,4%

Por bianca.lobianco

Brasília - O Índice de Confiança de Serviços (ICS), medido da Fundação Getulio Vargas (FGV), manteve-se praticamente estável de agosto para setembro, com uma leve variação de -0,2%. De julho para agosto, houve aumento de 4,3%. Apesar de haver queda de 1,4% na confiança em relação ao momento atual, o otimismo em relação ao futuro avançou 0,7%.

A queda de 1,4% do Índice da situação atual foi provocada principalmente pelo indicador que mede a satisfação com a situação atual dos negócios, que recuou 3,8%. Segundo a FGV, as empresas que avaliam a situação atual como forte caíram de 23,7% para 20,6%, enquanto aquelas que a consideram fraca aumentaram de 17,8% para 18,7%.

Já a alta de 0,7% do Índice de Expectativas foi influenciada pela demanda prevista, que avançou 2,4%. O percentual de empresas que preveem demanda maior no futuro subiu de 41,2% para 43,0%, enquanto a parcela daquelas prevendo demanda menor caiu de 10,2% para 8,9%.

De acordo com a FGV, a estabilidade da confiança de serviços entre agosto e setembro resulta de “sinais dispersos de seus segmentos e de seus componentes, sugerindo incerteza dos empresários do setor quanto ao dinamismo da atividade do setor ao final de 2013”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia