Faetec oferece 123 mil vagas em cursos de qualificação

Inscrições começam na terça e vai até 4 de fevereiro. São 191 áreas de capacitação no estado

Por thiago.antunes

Rio - A falta de mão de obra especializada e capacitada é um dos grandes gargalos do Estado do Rio para geração de emprego. Ou seja, existem oportunidades, mas não há gente preparada. Para amenizar este quadro, a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) abre, na próxima terça-feira, inscrições para 123.687 vagas em 191 cursos de qualificação profissional. As chances são para 110 unidades da fundação distribuídas pela capital e interior.

Os interessados têm até 4 de fevereiro para concorrer às vagas, por meio de sorteio, no site www.faetec.rj.gov.br. Os destaques dessa primeira rodada de oportunidades oferecidas pela fundação (de um total de três ao ano) são as com foco estratégico para atender aos grandes eventos que chegam ao Brasil, como a Copa do Mundo, em junho.

A formação de costureiras está entre os 191 cursos disponíveis%2C via sorteio%2C a partir de 10 de março Divulgação

São mais de 26.200 vagas em cursos dos idiomas de Inglês, Espanhol ou Francês. Os de agente de Informações Turísticas, de Camareira em meios de hospedagem e Garçom também estão entre as opções oferecidas.

Para o presidente da fundação, Celso Pansera, as vagas são uma boa oportunidade para jovens entrar preparados no mercado de trabalho. “Os cursos valorizam também o currículo e ainda traz mais qualidade de vida para os alunos, por estarem localizados em regiões de fácil acesso. O Rio necessita de bons profissionais para os grandes eventos que vão acontecer”, avalia Pansera.

Carência

As áreas de Metal Mecânica, Petróleo e Gás, Turismo e Construção Civil são as com mais alta carência de profissionais na visão do presidente da Faetec. Entre as categorias com mais demanda, Celso Pansera aponta garçom, cozinheiro, auxiliar de cozinha, soldador, pedreiro e bombeiro hidráulico. “São profissões carentes de mão de obra qualificada no estado e de empregabilidade certa”, informa.

Cursos de idiomas e de informática estão entre as prioridades da instituição neste primeiro semestre por conta da Copa do MundoDivulgação

O presidente da fundação diz que os cursos são de formação inicial e continuada e servem também para quem atua na profissão sem qualificação técnica. “Por exemplo, há garçons, cozinheiros e pedreiros que aprenderam o ofício na prática sem formação profissional. Para eles, os cursos vão dar suporte técnico que lhes faltam”, comenta Pansera.

Superintendente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (SindRio), Darcílio Junqueira, engrossa a lista de carência no setor de hotelaria e gastronomia citando a falta de sushiman, barman e copeiro. “Cozinheiro e auxiliar de cozinha são as profissões mais carentes do setor. Estamos sempre formando novos profissionais, mas há sempre falta”, relata.

Aprimoramento de acordo com a vocação regional

Secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca destaca que a Faetec tem a intenção de aprimorar a mão de obra, de acordo com as vocações regionais de cada cidade do estado. “Damos oportunidade à população de se preparar para ingressar no mercado de trabalho o mais rápido possível. Oferecemos uma gama variada de cursos, ampliando o número de Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) no estado”, diz o secretário.

Celso Pansera diz que o sorteio da Faetec não privilegia ninguém Divulgação

Os interessados podem escolher até dois cursos diferentes por CPF, sendo que uma das opções deve ser Informática ou Idiomas. “Queremos preparar profissionais que atuam diretamente com o turista”, ressalta. O sorteio público das vagas será dia 6 de fevereiro, a partir das 9 horas, e a listagem completa sai publicada no site no dia seguinte. Após a liberação da lista, os candidatos sorteados terão entre os dias 7 e 11 para efetivar a matrícula. As aulas começam em 10 de março.

Acesso a vaga é o mais democrático

Quem não tiver acesso à internet pode procurar um dos 92 polos da Faetec Digital distribuídos em todo o estado e contar com o auxílio dos monitores da fundação. Para se candidatar é preciso ter o Ensino Fundamental completo e, dependendo do curso, a idade mínima varia de 14 a 18 anos.

Os cursos têm duração de 12 a 20 semanas, exceto o de NR-10 Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade, com duração de um mês. “Dependendo do curso, tendo pelo menos o 7º ano do Ensino Fundamental já é suficiente”, conta o presidente da fundação, Celso Pansera. Ele destaca a forma de ingresso aos cursos. “O sorteio torna o acesso mais democrático. Não privilegia ninguém”, diz.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia