Correios é condenado em R$ 2 milhões por condições insalubres de trabalho

Segundo MPT, carteiros andavam e carregavam peso acima do estabelecido no edital do concurso público

Por fernanda.magalhaes

São Paulo - O Correios foi condenado pela 6ª Vara do Trabalho de Campinas em R$ 2 milhões por manter carteiros em condições insalubres de trabalho.

Segundo nota publicada no site do Ministério Público do Trabalho (MPT), a empresa deve respeitar as garantias trabalhistas fixadas nos editais de concurso público para carteiros. Ou seja, cumprir o limite máximo de quilômetros percorridos por dia e a carga máxima de peso. A decisão tem abrangência nacional.

De acordo com o MPT, os empregados da região de Sorocaba, interior de São Paulo, percorrem longas distâncias carregando bastante peso. Cada carteiro caminha, em média, aproximadamente 15 quilômetros sobrecarregados com peso acima de 12 quilos sobre os ombros.

O edital do concurso prevê percurso de até sete quilômetros por dia e 10 quilos de peso para homens e oito quilos para mulheres.

Neste sentido, a juíza substituta Carolina Sferra Croffi proibiu a imposição de percursos diários de trabalho superiores a sete quilômetros, “independente do fluxo regional de correspondências, das particularidades das mais diversas regiões deste País e das modalidades de trajetos percorridos”.

As obrigações devem ser cumpridas 30 dias após publicação da decisão, sob pena de multa de R$ 30 mil por infração, informa o MPT.

Em nota, o Correios afirma que até o momento não foi notificado da decisão.

Com informações de Patrícia Basilio

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia