Impostos pesam no Dia dos Pais

Levantamento aponta que preço pago pelos filhos nos presentes embute quase 80% em tributos

Por bferreira

Rio - Na hora de comprar o presente para o Dia dos Pais, os filhos chegam a pagar quase 80% de impostos embutidos nos preços dos produtos. De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o item com maior carga tributária, de 78,43%, é o perfume importado, seguido da versão nacional, com 69,13% de taxas.

Isso significa que no caso de uma marca trazida do exterior que custa R$ 200, por exemplo, R$ 156,86 corresponderiam a impostos e R$43,14 ao real valor do produto. A estudante Ana Paula Monteiro, 21 anos, ficou surpresa com o percentual.

“Todo ano dou um perfume para o meu pai e parece que os preços só aumentam. Eu não sabia que pagava tanto de imposto, me sinto prejudicada. Além disso, a inflação está um absurdo. O mesmo perfume que eu comprava por R$ 100 há dois anos, agora pago R$ 150”, critica.

Também estão na lista de produtos com maior carga tributária a água de colônia (50,38%), aparelho MP3 (49,45%), barbeador elétrico (48,11%), televisor (44,94%), câmera fotográfica (44,75%), óculos de sol (44,18%) e bolsa de couro (41,52%), entre outros.

Segundo o site Impostômetro, do início do ano até ontem o país já havia arrecadado mais de R$ 953 bilhões em impostos. O valor é suficiente para comprar mais de 11 milhões de ambulâncias e mais de 583 milhões de televisores, por exemplo.

Em função da inflação e das altas taxas de juros, o comércio está pouco otimista com o Dia dos Pais. A previsão, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a data movimente R$4,4 bilhões no varejo este ano, com crescimento de apenas 4,3% nas vendas. Se as expectativas se confirmarem, será a menor alta nas vendas desde 2004, quando o varejo teve crescimento de 1,6%.

Para Fábio Bentes, economista da CNC, o custo mais alto dos empréstimos aliado à tendência de encurtamento do prazo médio de pagamento têm desestimulado a tomada de recursos, o que prejudica as vendas.

O Clube dos Diretores Lojistas (CDL-Rio) estima que o preço médio dos presentes por pessoa seja de R$ 150 este ano. Além disso, a previsão é que os clientes usem o cartão de crédito parcelado como forma de pagamento, seguido do cheque pré-datado, dinheiro, cartão de débito e crediário.

“Apesar do esforço dos lojistas com ações promocionais, diversificação de planos de pagamento, entre outras iniciativas para aumentar as vendas, o comércio está moderadamente otimista. As liquidações de inverno podem impulsionar as vendas”, estima o presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves.

Classe C deixa de puxar consumo no país

É a primeira vez em cinco anos que a classe social ascendente não lidera as intenções de compra. O dado faz parte de estudo da Nielsen divulgado ontem e revela que o brasileiro apresentou uma redução de 2,5% na pretensão de consumo no primeiro trimestre de 2014, em relação ao mesmo período do ano anterior. E o grupo mais afetado foi a classe C.

Segundo a pesquisa, a mudança no comportamento está ligada ao aumento da inflação (2,9%), ao comprometimento da renda (0,3%) e ao endividamento (4,7%). Nem os pontos positivos da economia melhoraram o cenário: redução do desemprego (5%), queda da inadimplência (4,4%) e aumento da renda real (3%).

Diante desse quadro, a classe C, que era o principal grupo consumidor, foi a que mais alterou o comportamento em sua vida financeira, pois apresentou, em média, um gasto 15% superior na renda mensal. Pela primeira vez desde 2009, as classes A e B, e não a C, foram as que menos sentiram o momento econômico.

EVITE DÍVIDAS

Especialistas da Serasa Experian preparam dez dicas para os filhos não perderem o controle financeiro na hora de presentear seus pais:

PLANEJE
Antes de ir às compras, veja o quanto pode gastar. Faça um levantamento das dívidas e considere os gastos do futuro. Também pesquise os preços dos produtos em várias lojas. A diferença de preço pode chegar até 100% num mesmo produto.

DÍVIDAS PRIMEIRO
Caso esteja inadimplente, busque primeiro a renegociação com os credores antes de fazer novas compras e dívidas.

SEM INTERMEDIÁRIO
A renegociação deve ser feita diretamente com os credores.

PECHINCHE
Pesquise e pechinche os preços dos presentes, para obter descontos.

VAQUINHA
Se você tem irmãos, faça uma vaquinha. Com todos contribuindo, não fica caro para ninguém.

UM SÓ PRESENTE
Não queira agradar comprando vários presentes. Um com um cartão tem bom significado.

RECICLE
Use a criatividade para fazer você mesmo um presente. Recicle os materiais que você tem em casa.

SEM PARCELAR
Controle as despesas no cartão de crédito. Além disso, o pagamento integral da fatura é a melhor maneira de usar esse meio de consumo. Evite o rotativo.

JUROS DO CHEQUE
Não avance no limite do cheque especial porque as taxas de juros são elevadas. Não esqueça que o limite não é renda extra.

VENCIMENTOS
Ao usar o cheque pré-datado ou o cartão de crédito, anote os números dos cheques ou valores das parcelas e as datas previstas para os pagamentos. Os valores das parcelas devem fazer parte do orçamento.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia