Greve do IBGE está próxima do fim

A aguardada reunião com o Ministério do Planejamento vai ocorrer e será nesta quarta-feira, às 15h

Por bferreira

Rio - A greve dos servidores do IBGE, que já ultrapassou dois meses e afeta resultados de importantes pesquisas do instituto, está mais próxima do fim. A aguardada reunião com o Ministério do Planejamento vai ocorrer e será nesta quarta-feira, às 15h, na sede do IBGE no Centro do Rio de Janeiro.

A retomada da negociação com o governo federal foi considerada um avanço pelos integrantes do Sindicato Nacional dos Trabalhadores em Fundações Públicas Federais de Geografia e Estatística (Assibge-SN). Para o Ministério do Planejamento, o governo nunca deixou de negociar com a categoria. Contudo, há um plano de reajuste salarial em vigor e que acaba em janeiro do próximo ano. Para os servidores, há pelo menos dois meses não havia uma expectativa concreta de acordo.

O sindicato destaca que qualquer possível conquista será resultado da mobilização dos servidores em greve. Em nota, os dirigentes sindicais informaram que é necessário reforçar a convocação de toda a categoria para acompanhar a reunião de negociação.

Na plenária promovida pela categoria na última semana, ficou decidida uma paralisação nacional incluindo servidores que não estão em greve, no dia do encontro. Há expectativa de caravanas vindas de outros estados para quarta-feira. A assembleia da seção estadual do Rio será na mesma data, às 10h. A sugestão do sindicato é que todos compareçam vestidos de preto, para protestar contra as demissões e reforçar ainda mais reivindicações.

Os servidores do IBGE também vão destacar no encontro com o governo a necessidade de a diretoria do IBGE renovar os contratos com os funcionários temporários, que foram afastados. Para o sindicato, esta é uma das questões que precisam ser revistas para que a categoria sinalize um retorno às atividades.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia