Ações para evitar afastamento por enfermidades

As medidas adotadas pelos setores públicos para tentar conter o avanço nas licenças-médicas

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Programas de prevenção de saúde no trabalho e acompanhamento de especialistas da área médica para servidores têm sido medidas adotadas pelos setores públicos para tentar conter o avanço nas licenças-médicas. A coluna procurou o governo estadual e a Prefeitura do Rio para conhecer as ações que vêm sendo implementadas nas duas esferas.

Segundo a Secretaria Municipal de Administração, o percentual de servidores da prefeitura em licença-médica neste ano é de 3,6 %, com tempo médio de afastamento de 20 dias. Os maiores registros são nas secretarias de Educação, Saúde, na Guarda Municipal e na Secretaria de Assistência Social, respectivamente. Dentre as principais doenças que afastam os servidores estão distúrbios gastrointestinais, alergias, alterações do sistema respiratório, além de lombalgia.

Já de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o maior volume absoluto de pedidos de licença no estado é das secretarias de Educação, Administração Penitenciária, Saúde e a Polícia Civil.

A Secretaria Estadual de Educação informou que, hoje, são 6.510 docentes afastados. Os principais motivos são licença-maternidade, amamentação, doença na família e outras enfermidades. Segundo a diretora do Hospital da Polícia Civil, Silvia Helena Pinto de Araújo, existem campanhas de prevenção voltada aos agentes, como a da hipertensão e diabetes, além das vacinações promovidas pelo hospital.

O sub-diretor da Diretoria Geral de Saúde da Polícia Militar, coronel Barreiras, esclareceu que a corporação implantou, recentemente, ‘Serviço de Atenção à Saúde’ do PM. É um programa multidisciplinar onde médicos, enfermeiros, dentistas e psicólogos visitam periodicamente os batalhões. O objetivo é fazer diagnóstico preventivo de doenças, dentre as quais diabetes e hipertensão que, se cuidadas preliminarmente, evitam danos maiores à saúde.

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária informou que por meio do programa de Controle de Estresse Profissional e Pós-traumático dos inspetores de segurança e administração penitenciária, busca a prevenção do afastamento de seus servidores.

A divisão de Atenção à Saúde e o Centro de Perícias Médicas e Saúde Ocupacional do Corpo de Bombeiros colocaram em prática um programa de saúde ocupacional voltado para os militares aptos com diagnóstico na inspeção de saúde. Há ainda um programa voltado para quem sofre de transtorno de estresse pós-traumático e Síndrome de Burnout.

SAÚDE E EDUCAÇÃO

A Secretaria Estadual de Saúde destacou que o número de licenças vem reduzindo “consideravelmente” na pasta, após a criação do Programa de Capacitação para o Aperfeiçoamento, em 2010. Já a Secretaria Estadual de Educação informou que há ações como alocação de psicólogos e assistentes sociais na sede e nas diretorias regionais.

PROGRAMA DE VOZ

Uma parceria das secretariais municipais de Saúde e Educação do Rio criou o Programa da Voz do Professor. Desde 2003 houve redução de 75% dos casos de afastamento do trabalho ou readaptação funcional causadas por disfonia. O programa consiste na detecção, prevenção e tratamento do distúrbio vocal nos professores da rede.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia